Cliente baixa renda teve gasto maior com luz em setembro

Inflação teve alta de 0,46% mês passado

Por O Dia

Rio - O consumidor de baixa renda gastou mais com tarifa de luz, aluguel residencial, gás de cozinha em botijão, passagem de ônibus e preço do frango inteiro em setembro. O Índice de Preços ao Consumidor — Classe 1 (IPC-C1) ficou em 0,46% no mês passado, após apresentar estabilidade em agosto. O indicador mede a inflação da população com renda até 2,5 salários mínimos (R$ 1.810). O índice acumula taxas de 4,49% no ano e 6,53% nos últimos 12 meses.

De acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV), um dos fatores que mais contribuiu para a alta foi o aumento da tarifa de energia elétrica, que subiu 2,78%. Aluguel residencial pressionou com 0,6%. Exerceram influência na subida o gás de botijão (1,92%), o frango inteiro (3,4%) e ônibus urbano (0,36%).

Tiveram alta de preços, segundo a FGV, a carne bovina (2,81%), contra 0,48% no mês anterior; medicamentos em geral (-0,20% para 0,33%), tarifa de telefone residencial (-1,97% para -0,81%), roupas (-0,66% para 0,09%) e show musical (0,75% para 2,75%).

Apenas o grupo despesas diversas apresentou queda de 0,12% para 0,06%.

Menos vagas na indústria

O emprego formal na indústria do país teve queda de 0,4% entre julho e agosto deste ano. É a quinta redução consecutiva do quadro de funcionários do setor, que acumula perda de 2,9% no período, segundo dados divulgados ontem pelo IBGE.

Na comparação com agosto do ano passado, a queda nos postos de trabalho foi de 3,6%. Quatorze de 18 atividades industriais pesquisadas registraram recuo. Destaque para indústrias de meios de transporte (-7,5%), produtos de metal (-7,9%), calçados e couro (-9%) e máquinas e equipamentos (-5,5%).

Últimas de _legado_Economia