Sucesso na Carreira: Atividade física e alta produtividade

A pausa para a ginástica laboral é a melhor parte do dia de quem enfrenta a rotina de escritórios e fábricas

Por O Dia

Rio - A pausa para a ginástica laboral é a melhor parte do dia de quem enfrenta a rotina de escritórios e fábricas, principalmente. É o momento em que o funcionário aproveita para descontrair cuidando da saúde física e mental ao mesmo tempo.

Os programas são adequados para qualquer tipo de empresa e, para o melhor resultado, devem ser feitos com o envolvimento do setor de Segurança e Medicina do Trabalho e das áreas produtivas, que apontarão os melhores horários para as pausas. Normalmente são no período da tarde.

Poucos funcionários são reativos à ginástica laboral, que não é obrigatória por lei, embora tanto os ministérios do trabalho e da saúde vejam a atividade como uma boa iniciativa. Afinal o retorno é positivo para todos os envolvidos.

PERGUNTA E RESPOSTA

Tive uma LER, lesão por esforço repetitivo. O médico disse que isso se evita com ginástica laboral, mas, aqui na minha empresa, não temos. Como posso tentar implantar? Não quero ter outra LER nem quero que meus colegas tenham?Rozane, Bonsucesso

Olá, Rozane! Para implantar o programa, é necessário contratar um profissional de Educação Física ou um fisioterapeuta. Os três principais desafios são convencer a direção da empresa de que as pausas não reduzirão a produtividade, a baixa adesão dos funcionários — que desconhecem os benefícios — e a dificuldade em encontrar local adequado para esse trabalho.

Para vencer os empecilhos, é preciso conscientizar cada funcionário com palestras e ampla divulgação dos objetivos e resultados esperados com o programa. Várias empresas têm ginástica laboral, e algumas iniciativas começam com os próprios funcionários. Uma pequena demonatração de interesse já pode ser algo significativo para a direção desua empresa.

Em uma multinacional, trabalhadores preocupados com a obesidade começaram a caminhar na fábrica, no horário de almoço. Em pouco tempo, o número de adeptos cresceu e eles pediram à empresa para contratar um especialista para orientar as atividades.

Estudos concluem que, para cada real investido na implantação da ginástica laboral, pelo menos o dobro retorna para a empresa, considerando redução de faltas, acidentes de trabalho, encargos sociais, além de fatores relacionados à saúde que afetam a produtividade.

Os benefícios físicos são a melhora da coordenação motora, redução da fadiga mental e física, prevenção de lesões musculares e melhoria do trabalho em equipe. O maior desafio é conscientizar que tanto a empresa quanto os funcionários ganham com a implantação do programa de ginástica laboral.

Algumas empresas contam com o auxílio da CIPA, Comissão Interna de Prevenção de Acidentes que representa junto à diretoria, os interesses dos funcionários. Pode ser uma boa alternativa também.

Últimas de _legado_Economia