Estudo mostra o que circula na 'Internet Profunda'

A Deep Web é uma região da rede de que governos e autoridades querem que você mantenha distância

Por O Dia

Rio - Você já ouviu falar em Internet Profunda? É a tal da Deep Web, uma região da rede de que governos e autoridades querem que você mantenha distância. Não é de todo ruim, mas é lá que se encontra, por exemplo, o mercado pirata de filmes, games e livros — o que não é legal, mas tem sua graça. O problema é que na Deep Web você encontra também um supermercadão de drogas, pedofilia, prostituição, assassinatos, contrabando, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos etc etc. Não é uma distração para amadores. É um ambiente comumente associados a hackers e criminosos online.

E daí que a Trend Micro acaba de divulgar seu estudo ‘Abaixo da Superfície: Investigando a Deep Web’, registrando que a maconha é a droga mais vendida no webmercado negro, com 31,6% da preferência. Em seguida, você encontra algumas substâncias ou drogas que normalmente exigem controle médico para ser comercializadas, como Ritalina e Xanax (21%), MDMA (10%), LSD (5,26%) e metanfetamina (5,26%).

Também tem passaportes falsos, carteiras de identidade ou de motorista, cartões de crédito...

O que a Trend Micro deixou claro é que, na Deep Web, você está bem mais vulnerável não só às armadilhas, como também às autoridades que fuçam a rede atrás de ações criminosas. Todo cuidado é pouco, portanto, quando você resolver pesquisar o que vive muito além do Google.

O YouTube pode ser a sua salvação

Como parece que os empregos ‘tradicionais’, digamos assim, estão mudando muito rapidamente, o negócio é inventar pra onde correr. Uma boa dica é o já velho e bom YouTube, que tem servido de ganha-pão pra muita gente boa — basta ver a turma do Porta dos Fundos, que soube aproveitar muito bem o YT para ganhar outras plataformas. No fundo, a mecânica para o sucesso é basicamente a mesma: escolher seu nicho de atuação e investir nele.

Games, por exemplo. Existe um sujeito na Suécia, o Felix Kjellberg, conhecido na rede como PewDiePie, que faturou o equivalente a R$ 23 milhões em 2014, graças aos seus comentários sobre jogos. Até ontem, ele tinha 37,7 milhões de inscritos no seu canal, que está disponível em https://www.youtube.com/user/PewDiePie/. Ele já produziu nada menos que 2.300 vídeos.

E o sueco tem apenas 24 anos de idade, ou seja, ainda vai inventar muito.

>>> Quer trabalhar na Espanha? Então anote: a alemã GFT está recrutando 300 profissionais brasileiros da área de TI para suas filiais em Madrid e Barcelona. Os interessados devem enviar o currículo em inglês para careeriberia@gft.com com o assunto “ESPANHA” na mensagem.

NOTAS

UMA BOA IDEIA I

Dia desses passei por um carro imundo ali no Flamengo. Sobre ele havia um cartão dizendo “Lavo seu carro”. Coisa fina. Quando conferi, era mesmo um cartão de visitas do site www.lavoseucarro.com.br. Fui conferir. O interessado entra no site, marca tudo direitinho, paga online via PayPal e tudo bem. A equipe de lavadores vai no endereço indicado, faz o trabalho e... vida que segue. Boa ideia, 100% nacional, segundo a equipe do site, que está procurando investidores para ampliar sua área de atuação. Por enquanto, eles só estão trabalhando no Flamengo e em Botafogo. E com um detalhe: a lavagem é a seco e consome só 300 ml de água, enquanto a lavagem tradicional pode consumir mais de 300 litros. Custo da brincadeira: R$ 49,90. Se eu tivesse carro, pagaria pra ver.

UMA BOA IDEIA II

Aplicativo de namoro é moleza. Negócio agora é o Tindog, rede social para unir os cachorrinhos da área.

E-mail: nelson.vasconcelos@odia.com.br

Últimas de _legado_Economia