Volta às aulas vira teste de paciência para alunos

Cada escola pode decidir como fazer a reposição dos 82 dias perdidos com a greve na rede municipal. Estudantes reclamam que professores estão faltando aos sábados

Por O Dia

Rio - A reposição das aulas que não foram dadas por causa da greve dos professores da rede municipal não vai apenas acabar com as férias de janeiro da garotada — pode acabar também com a paciência dos alunos. Uma semana após o reinício das atividades letivas, os estudantes ainda tentam se adaptar aos novos horários — que estão sendo definidos por cada unidade, sem padrão ou regra.

A solução encontrada pela Escola Municipal Soares Pereira, no Maracanã, foi estender o horário das aulas do turno da manhã até a tarde. Mas os alunos relataram a falta de estrutura da unidade para recebê-los. “A gente fica aqui a tarde inteira, não tem merenda à tarde, nem água no bebedouro. Não tem como estudar assim”, reclamou a aluna E., de 12 anos.

Na Escola Municipal Soares Pereira%2C no Maracanã%2C a carga horária foi estendida em 45 minutos por diaJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Quinze minutos de reposição por dia, além do mês de janeiro inteiro. É assim que os alunos da Escola Municipal Laudimia Trotta, na Tijuca, esperam recuperar as aulas perdidas durante 82 dias de greve. O horário de funcionamento vai de 7h15 às 11h45, e será estendido até às 12h. “É importante ter a reposição, para não passar de ano sem conteúdo, mas aula em janeiro ninguém aguenta”, protestou o aluno V., de 16 anos.

Em Madureira, na Escola Municipal Figueiredo Pimentel, os alunos terão que frequentar o local aos sábados, além de terem que assistir a um tempo de aula a mais de segunda a sexta-feira. “Eles colocam as turmas juntas. E alguns professores têm faltado nas aulas de reposições aos sábados. Muitas vezes a gente fica na sala sem fazer nada”, contou I., de 15 anos.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação esclareceu que a direção de cada unidade escolar deverá “dimensionar as ausências ocorridas e elaborar seu plano de reposição”. Ainda de acordo com o órgão, a reposição poderá ser feita nos turnos em que os estudantes não têm aulas: a semana de recesso de dezembro de 2013, os sábados e os horários vagos na grade escolar, além de todo o mês de janeiro de 2014. Os nomes dos alunos foram omitidos pelo DIA para que eles não sofram represálias da direção das escolas.

Últimas de _legado_Educação