Obama condena 'terrível' ataque a shopping e oferece apoio ao Quênia

Presidente dos EUA afirmou que país está cooperando com autoridades do Quênia para pôr fim ao ataque

Por O Dia

Nova York (EUA)- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, condenou nesta segunda-feira o "terrível" ataque ao shopping de Nairóbi, onde morreram pelo menos 62 pessoas, e ofereceu o apoio de seu país ao Quênia.

Ao início de uma reunião com o presidente nigeriano, Goodluck Jonathan, em Nova York, onde chegou esta segunda-feira para participar da Assembleia Geral da ONU, Obama indicou também que os EUA já estão cooperando com as autoridades do Quênia para pôr fim a esse ataque, que ainda não terminou. Membros da milícia radical islâmica somali Al Shabab permanecem no interior do centro comercial, onde, 56 horas depois do começo do ataque, ainda mantêm alguns reféns.

Após ataque a shopping%2C Obama apoia quenianosEfe


"Quero expressar pessoalmente minhas condolências não somente ao presidente (Uhuru) Kenyatta, que perdeu alguns membros de sua família nesse ataque, mas também ao povo queniano", disse Obama. "Estamos com eles frente a esta terrível atrocidade", acrescentou o líder americano, cujo pai nasceu no Quênia. Obama também expressou sua confiança em que o Quênia, "que foi um pilar de estabilidade no leste da África, se recuperará" desta tragédia.

O líder falou no domingo por telefone com Kenyatta para transmitir-lhe o apoio dos EUA a fim de deter os responsáveis do ataque contra o centro comercial de Nairóbi. O presidente americano prevê falar sobre esse ataque durante seu discurso desta terça-feira na 68ª Assembleia Geral das Nações Unidas, informou hoje a Casa Branca.

"Acho que será um assunto que surgirá não só durante seu discurso, mas também em algumas de suas conversas aqui em Nova York. O fato é que Al Shabab é precisamente o tipo de assunto que enfrentamos cada vez mais", explicou aos jornalistas Ben Rhodes, assessor adjunto de segurança nacional de Obama. O exército do Quênia prossegue com sua operação para libertar os reféns e render os terroristas no interior do shopping da capital queniana, no qual o comando de Al Shabab entrou no sábado ao meio-dia e abriu fogo contra clientes e funcionários.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência