Passageiro ucraniano tenta sem sucesso desviar um avião turco para Sochi

Homem, que estava sob efeito de álcool, se entregou. Ele ameaçou os passageiros dizendo que tinha uma bomba

Por O Dia

Turquia - Uma tentativa de sequestro de um avião turco procedente da Ucrânia terminou nesta quinta-feira no aeroporto de Istambul com a entrada no aparelho das forças especiais da Turquia, aos quais um passageiro - que pretendia desviar o aparelho para a cidade russa de Sochi - se entregou.

O passageiro, um ucraniano que atuou sob efeito do álcool, pretendia ter acesso à cabine do piloto do avião, da companhia turca Pegasus, durante o voo que cobria a rota entre a cidade ucraniana de Kharkov e Istambul, informou a rede "CNNTürk".

Após uma hora de tensa espera no aeroporto de Sabiha Gökçen, na parte asiática de Istambul, o frustrado sequestrador foi neutralizado e se entregou às forças de segurança, que o levaram para a delegacia para realizar um interrogatório, e os 110 passageiros do avião puderam desembarcar.

Habib Soluk, subsecretário do Ministério de Transportes turco, confirmou à emissora "NTV" que se tratou de uma clara tentativa de sequestro aéreo.

"O passageiro gritou 'Tenho uma bomba' e queria que o avião se dirigisse a Sochi para aterrissar ali, ao invés de continuar em direção a Istambul, mas não lhe abriram as portas da cabine", explicou Soluk.

O piloto apagou as luzes do avião e continuou sua rota prevista rumo ao aeroporto de Sabiha Gökçen, após emitir um sinal de aviso de sequestro, recebido pelas autoridades turcas por volta das 13h20 (de Brasília), segundo a agência de notícias "Anadolu".

Passados 20 minutos dois caças turcos F-16 decolaram da base de Balikesir, no oeste da Turquia, e alcançaram o avião 18 minutos mais tarde quando este sobrevoava o Mar Negro.

O governador de Istambul, Hüseyin Avni Mutlu, se transferiu ao aeroporto e instalou um centro de crise, ao mesmo tempo em que o aeroporto de Ancara também ativou um mecanismo de emergência, que resultou desnecessário.

Avião da Pegasus Airlines vindo da cidade ucraniana de Kharkov na pista do aeroporto Sabiha Gokcen%2C em IstambulReuters

Escoltado pelos caças turcos, o avião continuou o voo e aterrissou sem problemas, às 14h04 (de Brasília), em seu destino previsto, mas foi dirigido a uma área afastada.

Um grande número de forças de segurança e equipes de bombeiros se transferiram à área e as autoridades do aeroporto, utilizado tanto para voos nacionais como internacionais de companhias de baixo custo, elevaram ao nível máximo o alerta de segurança.

Os voos foram interrompidos durante três horas, mas o aeroporto voltou a funcionar normalmente às 17h (de Brasília), de acordo com o jornal "Hürriyet".

Após pouco menos de uma hora, nas quais o avião permaneceu sob observação das equipes turcas de segurança, e com as portas fechadas, o piloto emitiu um sinal de que todos "estavam bem".

Finalmente, unidades especiais das forças de segurança turcas entraram no avião, onde a tripulação entregou o frustrado sequestrador, aparentemente sem que fosse preciso o uso de força .

Segundo a emissora "NTV", foram os próprios passageiros e aeromoças do avião que tinham conseguido neutralizar o sequestrador, e vídeos aparentemente filmados com celulares dentro do avião, após a aterrissagem, mostram os passageiros em calma.

Os agentes transferiram o suposto sequestrador às dependências de segurança para realizar um interrogatório, ao mesmo tempo em que outras equipes seguiram trabalhando no avião para detectar riscos de segurança.

Segundo a "Anadolu", que cita fontes dos serviços secretos da Ucrânia, o frustrado sequestrador tem 45 anos, e não portava nem uma bomba nem outras armas, embora continue a incógnita sobre seus motivos de querer desviar o avião à sede dos Jogos Olímpicos de inverno, que foram abertos oficialmente nesta sexta-feira.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência