Justiça condena à morte três homens por estupro brutal e morte de jovem na Índia

Crime aconteceu em 2012 com jovem de 19 anos. Corpo tinha evidentes sinais de tortura

Por O Dia

Índia - Um tribunal de Nova Délhi condenou nesta quarta-feira à morte três homens por sequestrar, estuprar e assassinar uma jovem de 19 anos em 2012, cujo corpo foi encontrado com sinais de intensa tortura em um descampado três dias após seu desaparecimento.

Os condenados à morte - Rahul (27 anos), Ravi (23) e Vinod (23) - sequestraram a jovem em um bairro do sul de Nova Délhi quando ela ia para casa após sair do trabalho na cidade satélite de Gurgaon, segundo as TVs locais "NDTV" e "PTI".

Três dias depois, em 12 de fevereiro, a polícia encontrou o corpo mutilado: os homens haviam queimado a vítima com cigarros, introduzido uma garrafa quebrada em sua vagina, jogado ácido em seu rosto e retirado os olhos da jovem com uma chave de fenda.

Rahul e Ravi, que são irmãos, haviam planejado o sequestro da jovem como "revanche" por ela rejeitar suas investidas amorosas, segundo a promotoria, que ressaltou que nenhum dos condenados manifestou qualquer arrependimento.

O juiz encarregado do caso, Virender Bhat, havia declarado culpados os acusados na semana passada e nesta quarta, ao emitir o veredito, justificou a condenação dizendo que se trata de um caso "rarest of the rare" ("o mais raro dos raros").

Sob essa condição é permitida a aplicação da pena de morte a condenados por crimes de particular brutalidade na Índia, onde após sete anos sem execuções a presidência do país suspendeu em 2011 essa moratória.

As informações sobre estupros na Índia aparecem a cada dia nos veículos de imprensa, fruto da consciência criada pelo estupro em grupo e morte de uma estudante universitária em Délhi em 16 de dezembro de 2012.

O estupro gerou protestos e abriu um debate sem precedentes sobre a situação da mulher no país, o que levou o governo a endurecer as leis contra agressores sexuais.


Últimas de _legado_Mundo e Ciência