Maduro ameaça expulsar CNN da Venezuela por transmitir 'propaganda de guerra'

Segundo presidente venezuelano, rede de TV americana foi notificada de que será tirada do ar 'se não corrigir cobertura'

Por O Dia

São Paulo - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ameaçou na quinta-feira expulsar do país a CNN se a emissora norte-americana não mudar sua cobertura dos protestos antigovernamentais, que qualificou de "propaganda de guerra".

A onda de protestos que deixou pelo menos seis mortos se intensificou na quinta-feira. Opositores montaram barricadas nos bairros ricos de Caracas e em cidades do interior, depois de uma noite violenta na capital com enfrentamentos entre manifestantes e forças de segurança.

Nicolás Maduro: 'Não aceito propaganda de guerra contra a Venezuela, se não corrigirem, fora da Venezuela CNN, fora!'Reprodução TV

"Eu disse à ministra (da Comunicação) que notifique a CNN de que começamos o processo administrativo para tirá-los da Venezuela se não corrigirem (a cobertura)", disse Maduro em um evento transmitido em rede de rádio e televisão.

O mandatário disse que a emissora internacional tem como objetivo "justificar uma guerra civil" e a "intervenção" de tropas norte-americanas na Venezuela. "Que a CNN se vá da Venezuela, já basta de propaganda de guerra, não aceito propaganda de guerra contra a Venezuela, se não corrigirem, fora da Venezuela CNN, fora!", acrescentou Maduro.

Milhares de venezuelanos protestam nas ruas há três semanas contra a elevada inflação, a escassez de produtos básicos e a falta de segurança no país produtor de petróleo. Na semana passada, o canal internacional de notícias em espanhol NTN24, transmitido da Colômbia, denunciou que seu sinal na Venezuela foi cortado enquanto informava sobre os confrontos entre opositores e partidários do governo.

A CNN transmite notícias por meio do serviço de televisão a cabo na América Latina. Os venezuelanos denunciam um "apagão informativo" porque as principais emissoras de rádio e televisão - a maioria nas mãos do Estado - não transmitiram os fatos mais violentos dos enfrentamentos.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência