Nigéria reforça segurança para Fórum Econômico Mundial após atentado

Bomba explodiu nos arredores da capital e matou ao menos 71 pessoas. Grupo islâmico é suspeito

Por O Dia

Nigéria - A Nigéria vai montar uma grande operação de segurança para proteger o Fórum Econômico Mundial na África, planejado para Abuja na próxima semana, após militantes islâmicos suspeitos de realizar um atentado a bomba nos arredores da capital nesta segunda-feira, disseram os organizadores nigerianos do evento.

"Nosso planejamento de segurança para o Fórum Econômico Mundial na África (marcado para 7 e 9 de maio) está bem avançado e vai ser a maior operação de segurança já montada nesse país para uma cúpula internacional", disse o ministro das Finanças nigeriano, Ngozi Okonjo-Iwela, em um comunicado enviado aos participantes do fórum.

Explosão de bomba em estação de ônibus na Nigéria matou 71 pessoas Reuters

Tragédia

A explosão na hora mais movimentada da manhã de segunda em uma estação de ônibus em Nyanya, no qual morreram 71 pessoas e outras ficaram feridas, foi o ataque mais violento de todos os tempos na capital do maior produtor de petróleo da África e atual maior economia africana.

Enquanto o presidente Goodluck Jonathan acusa o grupo islâmico Boko Haram, que conduz uma insurgência contra o governo na região nordeste do país, o ataque a bomba desperta questionamentos sobre a habilidade do governo de proteger a capital.

Referindo-se ao que chamou "suspeita de ato de terrorismo", o comunicado afirmou que mais de 6 mil membros das forças de segurança, composta pela polícia e Exército, seriam mobilizados para proteger o FEM África em Abuja, cobrindo uma área de 250 quilômetros quadrados.

O comunicado garantiu aos participantes que estarão seguros e expressou "nosso profundo compromisso de que esses eventos trágicos não vão impedir de cumprir nossa promessa de sediar um encontro de nível mundial no próximo mês". O texto também foi assinado por Nwanze Okidegbe, principal assessor econômico do presidente Jonathan.

Cruz Vermelha resgata corpo após explosão em estação de ônibusReuters


Últimas de _legado_Mundo e Ciência