Papa denuncia cumplicidade da Igreja com padres pedófilos

Francisco também pede perdão durante um encontro com seis vítimas de abusos sexuais

Por felipe.martins , felipe.martins

Cidade do Vaticano - O Papa Francisco denunciou nesta segunda-feira a “cumplicidade inexplicável” da Igreja Católica com padres pedófilos que cometeram abusos sexuais. Ele também implorou pelo perdão das vítimas dos crimes, ao encontrar-se pela primeira vez com algumas delas, no Vaticano. “Há muito tempo sinto no coração uma profunda dor, um sofrimento tanto tempo oculto, tanto tempo dissimulado com uma cumplicidade que não tem explicação”, disse o Pontífice em comovente homilia diante de seis vítimas.

Papa se comprometeu a lutar contra a pedofilia e criou uma comissão para a proteção da infânciaEfe

O encontro aconteceu após missa na residência privada de Francisco, a Casa Santa Marta, onde ele mora desde sua eleição em março de 2013. O pontífice recebeu dois britânicos, dois alemães e dois irlandeses, cujos nomes não foram revelados. A reunião tinha sido anunciada pelo próprio Papa, em 26 de maio, durante voo de volta após viagem ao Oriente Médio.

“Diante de Deus expresso minha dor pelos pecados e crimes graves de abusos sexuais cometidos pelo clero contra vocês e humildemente peço perdão”, afirmou. Ele também reconheceu que os líderes católicos “não responderam adequadamente às denúncias de abuso apresentadas por familiares e por aqueles que foram vítimas de abuso”.

“Não há lugar na Igreja para os que cometem estes abusos, e me comprometo a não tolerar o dano infligido a um menor por parte de ninguém”, ressaltou. Francisco também disse que sente a dor dos suicídios de vítimas. “As mortes destes filhos tão amados por Deus pesam no coração e na minha consciência e de toda a Igreja”

O Papa se comprometeu desde o início a lutar contra a pedofilia e criou uma comissão para a proteção da infância, que tem entre seus integrantes uma vítima, a irlandesa Mary Collins. Algumas associações de vítimas, porém, consideram que a Igreja não está fazendo todo o possível para impedir que padres abusem de menores. As vítimas pedem que as “boas intenções” manifestadas pelo Papa virem normas específicas.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia