Muçulmanos e judeus rompem juntos jejum do Ramadã em sinagoga no Cairo

Ato tinha como objetivo promover a convivência entre as diferentes comunidades religiosas

Por julia.sorella

Cairo - Muçulmanos, cristãos e judeus romperam juntos o jejum do mês do Ramadã nesta quarta-feira em uma sinagoga do Cairo, em uma tentativa de promover a convivência entre as diferentes comunidades religiosas egípcias.

O ativista Mina Zabet, presidente da Coalizão Egípcia para as Minorias, que convocou o evento, disse à Agência Efe que "esta é aprimeira vez que se organiza um 'iftar' (café da manhã) em uma sinagoga no Egito e no Oriente Médio".

O objetivo do ato, que aconteceu na sinagoga Shiar Hasmaiyem (Porta do céu), no centro do Cairo, é "convidar para a convivência". O "iftar" é a refeição na qual os muçulmanos encerram a abstinência de alimentos e bebidas realizada durante o dia durante todo o mês do Ramadã, e costuma ser algo leve, como água, tâmaras e sucos, mas às vezes pode ser mais variada.

A sinagoga de Shiar Hasmaiyem, construída em 1905, é a mais frequentada pela pequena comunidade judaica do Cairo. No início do século XX havia 75 mi judeus no Egito. Mas esse número começou a baixar a partir de 1948 com a criação do Estado de Israel. Atualmente, embora não haja um censo oficial, calcula-se que esse número não supera os cem. O Egito foi o primeiro país árabe a assinar a paz com Israel, em1979, um fato histórico que continua a provocar controvérsia e que não impede que as relações entre os países sejam frias.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia