Mais de cem corpos são encontrados após acidente com avião na Ucrânia

Cerca de 295 pessoas estavam a bordo da aeronave. Caixa preta foi localizada por insurgentes pró-russos

Por O Dia

Ucrânia - Mais de cem corpos das 295 pessoas a bordo do avião da Malaysia Airlines, que caiu nesta quinta-feira no leste da Ucrânia, foram encontrados no local do acidente, segundo uma fonte do Ministério de Situações de Emergência. "Por enquanto não podemos dizer o número exato de mortos, nem sequer aproximado, porque há destroços da aeronave espalhados em uma ampla área entre as árvores", disse a fonte à agência russa RIA Novosti no lugar do acidente.

Os funcionários do Ministério trabalham na busca dos corpos dos passageiros e aguardam a chegada, nesta sexta-feira, de legistas vindos de Donetsk. Soldados dos insurgentes pró-russos do batalhão "Vostok" monitoram o local do acidente, e embora não impeçam o trabalho dos socorristas e dos jornalistas, têm afastado do perímetro os moradores locais que tentam se aproximar.

Segundo a agência russa "Interfax", os rebeldes ucranianos encontraram a caixa-preta do avião de passageiros acidentado.

Barack Obama oferece assistência americana 

Mais cedo, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quinta-feira que sua prioridade é averiguar se havia cidadãos americanos a bordo do avião malaio que caiu no leste da Ucrânia, e ofereceu assistência americana para "determinar o que houve e o que motivou o ataque".

Ucrânia diz que aeronave teria sido abatida e acusa Rússia. Avião havia decolado de Amsterdã%2C na Holanda%2C e deveria chegar a Kuala Lampur%2C na MalásiaFotos%3A Reuters

"O mundo está acompanhando os relatórios de um avião de passageiros que caiu perto da fronteira entre Rússia e Ucrânia", disse Obama em discurso no estado de Delaware.

Aviões mudam rota para Ásia

Por conta do acidente com o avião malaio, a companhia aérea alemã Lufthansa e a francesa Air France anunciaram nesta quinta-feira que decidiram modificar suas rotas rumo a Ásia após o incidente com o avião da Malaysia Airlines, que caiu no leste da Ucrânia, com mais de 290 pessoas a bordo.

Segundo assinalou um porta-voz da Lufthansa em Frankfurt, o objetivo é evitar sobrevoar essa região ucraniana na qual se registram confrontos entre as forças do governo de Kiev e rebeldes separatistas pró-russos.

Quatro aeronaves já mudaram sua rota para seguir as novas instruções, apesar de o espaço aéreo sobre o leste da Ucrânia não estar fechado.

"Decidimos imediatamente não sobrevoar o leste da Ucrânia", disse à Agência Efe um porta-voz da Air France, afirmando não poder definir com precisão a região coberta por essa proibição nem o número de aviões da companhia aérea que a utilizavam.

Ucrânia diz que aeronave teria sido abatida e acusa Rússia. Avião havia decolado de Amsterdã%2C na Holanda%2C e deveria chegar a Kuala Lampur%2C na MalásiaFotos%3A Reuters

A mesma fonte comentou que se trata de trajetos com a Ásia. O porta-voz insistiu em lembrar que desde o dia 3 de abril também tinham optado por deixar de utilizar o espaço aéreo da Crimeia, região separatista da Ucrânia anexada pela Rússia.

Já as duas principais companhias aéreas russas, Aeroflot e Transaero, anunciaram que não sobrevoarão o espaço aéreo ucraniano em seus voos para outros países.

"A Aeroflot realizará seus voos evitando o território da Ucrânia", assinalou a companhia estatal em sua conta no Twitter, depois do incidente com o avião malaio.

A Transaero também informou que por causa do acidente decidiu realizar seus voos para o estrangeiro sem sobrevoar a Ucrânia, conforme assinalou em comunicado.

As duas companhias aéreas fizeram o anúncio no meio de acusações mútuas entre o governo de Kiev e os rebeldes pró-russos que o avião malaio, que voava de Amsterdã para Kuala Lumpur, foi derrubado pela outra parte do conflito no leste do país.

A agência "Itar-Tass", por sua vez, informou que o corredor aéreo pelo qual o aparelho malaio voava estava aberto ao tráfego internacional, segundo uma fonte de navegação aérea.

O avião malaio que caiu na região de Donetsk cobria a rota Amsterdã-Kuala Lumpur.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência