Mulheres acham que os celulares prejudicam a interação com o parceiro

Pesquisa mostra que cada vez mais relações são prejudicadas pelo uso inoportuno do smartphone

Por O Dia

Rio - Antes de pegar o smartphone para checar as últimas mensagens, pense bem, pois o gesto pode colocar seu relacionamento em risco. Pesquisa realizada pela Brigham Young University, nos Estados Unidos, mostra que, para 74% das mulheres, os celulares prejudicam a interação com o parceiro.

O levantamento envolveu 143 voluntárias, todas com namorados ou maridos. Cerca de 25% falaram que o parceiro responde, por meio de textos, a outras pessoas durante conversas do casal. Segundo Renata Castro, psicóloga do Equilibrium SPA da Mente, a origem da insatisfação feminina está na atenção dividida. “Em um encontro amoroso, a pessoa quer ser prioridade e espera que o parceiro olhe e dê atenção”, declara.

A especialista lembra ainda que, ao usar o celular, além de incomodar a parceira, o homem pode levantar suspeitas em relação à fidelidade. “Sabemos que celular e Ipad, hoje, são objetos de traição. No mundo virtual, há homens e mulheres a todo vapor”.

Para o casal Juliana Costa, 20 anos, e Tiago Rangel, 19, que estão juntos há quatro meses, o assunto vira e mexe se torna uma discussão. “Ele pega no celular enquanto eu estou falando, na maioria das vezes para ler conversas no Whatsapp e eu nunca faço isso”, reclama a estudante. Tiago jura que é exagero da namorada.

“É só às vezes, para ver a hora”, disfarça. Apesar das reclamações, na opinião dos dois, o saldo da tecnologia para os relacionamentos é positivo, mas é preciso ter consciência ao usar.

O médico Bruno Cury, 31, também toma puxões de orelha da mulher todo dia. Bianca Cury, 33, se irrita quando o marido fala ao telefone durante as refeições, mesmo quando é por causa do trabalho. “Já combinados, no almoço é proibido!”, brinca a também médica.

Para evitar o desgaste do relacionamento, Renata aconselha as mulheres a conversar com os parceiros sobre a insatisfação com o hábito de mexer no celular a todo instante. Para eles, a dica é: ao ver a notificação, resistir para não responder na frente da amada.

Pais teclam em vez de brincar

Andreia Calçada, psicóloga e psicoterapeuta, acredita que ciúme e possessividade estão mais ligados ao temperamento feminino, mas concorda que interromper um encontro amoroso para usar o smartphone incomoda homens e mulheres. Mas, para Andreia, nem sempre responder mensagem no meio do jantar romântico representa crise no relacionamento.

De acordo com a especialista, dividir a atenção com o celular não é problema apenas para namorados e esposos. Crianças também sofrem quando os pais, em vez de brincar, ficam concentrados no aparelho. Ela conta que não é raro a reclamação dos pequenos ao chegar aos consultórios. “Quando isso acontece, conversamos com os responsáveis e eles se desculpam”.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência