Após dois dias em catedral no Vaticano, empresário desiste de protesto

Di Finizio, dono de um restaurante na orla marítima de Trieste, protestava contra a diretiva comunitária Bolkestein

Por O Dia

Roma -  O empresário italiano Marcello di Finizio, que se agarrou à cúpula da catedral de São Pedro do Vaticano no último dia 21 de dezembro para protestar contra uma lei da União Europeia, desistiu de seu ato nesta terça-feira e desceu ajudado por membros da segurança vaticana.

Empresário italiano passou a noite agarrado na fachada de São Pedro Efe


Di Finizio, dono de um restaurante na orla marítima de Trieste, protestava contra a diretiva comunitária Bolkestein que impõe que sejam levadas a leilão as concessões de restaurantes à margem do mar a partir de 2020, o que afetaria seu estabelecimento. Essa é a quinta ocasião na qual o empresário sobe à fachada da basílica vaticana para protestar.

Desta vez, permaneceu menos de 48 horas na cornija sobre a chamada Logia Central da fachada de São Pedro, enquanto nas quatro anteriores tinha se soltado da cúpula e se instalado em uma das vidraçarias, na qual passou vários dias. Segundo escreveu o empresário em seu perfil da rede social Facebook, sua intenção era de passar o Natal a poucos metros da Logia Central, de onde o papa Francisco fará no dia 25 de dezembro a tradicional bênção "Urbi et Orbi". O empresário, além disso, pedia para falar com o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, para que o ajudasse a solucionar sua situação.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência