Obama anuncia 'mais ambicioso' plano de combate ao aquecimento global dos EUA

Presidente dos EUA lança plano que pretende reduzir emissões de carbono das centrais elétricas em cerca de 32% até 2030

Por O Dia

Estados Unidos - "Dizem que a mudança climática é impossível. Mas eu digo que quem fala isso está errado: conseguiremos mudar esta realidade". Foi o que presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou em discurso na Casa Branca no qual anunciou um novo projeto do país para o combate ao aquecimento global, nesta segunda-feira.

O presidente dos EUA%2C Barack Obama%2C durante o discurso feito nesta segunda-feira Reprodução

Batizado de "Plano da Energia Limpa", o projeto foi elaborado pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA como o primeiro plano nacional a estabelecer limites para acabar com a emissão de gás carbônico em usinas de produção de energia.

"Quando o mundo enfrenta grandes desafios, a América dá as caras para liderar a luta. Não vou enganar vocês, isso vai ser difícil. Nenhum país ou pessoa vai mudar sozinho o aquecimento no mundo", disse Obama em discurso, aplaudido com empolgação pela imprensa presente na sede do poder Executivo norte-americano. "Uma coisa não mudou nesses anos todos: nosso planeta continua lindo, azul e vasto, mas também fragil. E pertence a todos nós que estamos aqui."

Em dezembro será realizada em Paris, na França, uma nova Conferência do Clima, que deve reunir representantes de uma centena de países para elaborar um plano de redução de gás carbônico para o mundo. O objetivo é colocar em ação o pacto de mudanças a partir de 2020. Até hoje, no entanto, reuniões do tipo surgiram pouco efeito prático.

De acordo com a Casa Branca, o plano anunciado por Obama é o "mais importante passo já tomado pelo país para combater as mudanças climáticas". A ideia é que os estados passem a especificiar suas reduções de emissão baseados no consumo de energia, incluindo com um programa de incentivo a seus administradores.

O objetivo é reduzir as emissões de carbono das centrais elétricas em 32% até 2030 e diminuir em 90% as mortes ligadas à emissão de poluentes nos próximos 15 anos.

"Hoje temos mais de 7 bilhões de pessoas vivas neste planeta. Todas podem olhar para a Terra e dizer: 'esta é a minha casa'. Mas somos a última geração a poder lutar contra o aquecimento, e somente temos uma casa, um planeta. Não há plano B. Não quero que meus netos sejam impedidos de nadar no Havaí ou de ver um iceberg só porque não fizemos nada a respeito", concluiu Obama.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência