Papa Francisco diz que divorciados 'não são excomungados'

O pontífice afirma que pessoas que estabelecem relacionamento após o fim de seus casamentos fazem parte da igreja e devem ser tratadas como tais.

Por O Dia

Vaticano - O papa Francisco afirmou nesta quarta-feira que as pessoas que estabeleceram uma nova união depois de um divórcio "não são excomungadas e não devem ser tratadas como tais", pois "fazem parte da Igreja".

Papa: "É por isso que a Igreja sente o dever, pelo amor da verdade, de discernir bem as situações"Efe

"É necessária uma fraterna e atenta acolhida, no amor e na verdade, em direção a estas pessoas que efetivamente não estão excomungadas, como alguns pensam. Elas fazem parte da Igreja", disse o pontífice.

Ele abordou tais reflexões na audiência geral de quarta-feira, celebrada na Sala Paulo XVI, onde vai acontecer durante todo o mês de agosto.

Francisco ressaltou a importância de perceber as segundas uniões do ponto de vista dos filhos e desenvolver nas comunidades o acolhimento desse público.

"Como poderíamos recomendar a estes pais que façam tudo para educar os filhos na vida cristã, dando a eles exemplo de uma fé convicta e vivida, se os mantivermos longe da vida da comunidade?", questionou ele.

O pontífice argentino disse que a Igreja sabe que as novas uniões após um divórcio contradizem o sacramento cristão, mas reconheceu que são problemas reais.

"É por isso que a Igreja sente o dever, pelo amor da verdade, de discernir bem as situações", explicou.

Ao final, Francisco afirmou que a Igreja deve estar sempre com as portas abertas e convidou os fiéis a fazer como o Bom Pastor e colaborar nos cuidados às famílias feridas.

"Todos podem fazer parte da comunidade, a Igreja é a casa paterna na qual há espaço para todos. A Igreja não tem as portas fechadas a ninguém", concluiu.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência