Conta Social: Rumo ao saldo zero de carbono

Empresas de diferentes setores se apressam em antecipar suas intenções para reduzir emissões de gases do efeito estufa

Por O Dia

Rio - A uma semana da abertura da COP21 — a cúpula mundial de 195 países que decidirá em Paris as metas para tentar limitar o aquecimento global a, no máximo, 2°C —, empresas de diferentes setores se apressam em antecipar suas intenções para reduzir as emissões de gases do efeito estufa. A Even, incorporadora e construtora, por exemplo, se compromete com saldo zero de carbono nas obras entregues este ano no Rio de Janeiro e São Paulo, incluindo emissões próprias e de toda a sua cadeia de fornecedores de fabricação e transporte de materiais.

Banco anuncia que será responsável pela compensação das emissões no consumo de energia elétrica e geração de resíduos do Museu do AmanhãDivulgação

Já o Santander anuncia que será responsável pela compensação das emissões no consumo de energia elétrica e geração de resíduos do Museu do Amanhã, que será aberto dia 19 de dezembro pela Prefeitura do Rio na Região Portuária. Os mais de 450 mil visitantes esperados por ano (190 mil crianças) ainda poderão calcular seu gasto individual durante o passeio com a ferramenta ‘Reduza e Compense CO2’. O investimento total na obra é de R$ 65 milhões, sendo R$ 30 milhões para a manutenção do museu e os projetos de sustentabilidade.

A intenção da Even é neutralizar 100 mil toneladas de CO2 equivalentes, que corresponde ao carbono estocado em 400 hectares de Mata Atlântica, algo em torno de 560 campos de futebol. Para 2020, a meta é zerar suas próprias emissões e reduzir em 50% as geradas por seus fornecedores.

Cada vez menos água na Coca-Cola

Em parceria com a Artemísia, a Coca-Cola Brasil escolhe esta semana o melhor projeto de gerenciamento hídrico do Coca-Cola Open Up Água. Três empresas estão concorrendo e a vencedora testará o produto ou serviço em uma das 45 fábricas da marca no país.

Desde 2013, a Coca-Cola neutraliza 100% da reposição da água no processo produtivo. Nos últimos 12 anos, reduziu em 25% o volume de água usado para fabricar um litro da bebida. “Utilizamos água de forma consciente e responsável: é o nosso bem mais precioso”, afirma Pedro Massa, diretor de Valor Compartilhado da Coca-Cola Brasil. A meta é reduzir para 1,7 litro de água até 2020.

BOAS AÇÕES EM DIA

Marco Antônio Lage lança amanhã ‘O Mundo pode Ser Melhor’, que conta a experiência do ‘Árvore da Vida’, programa da Fiat Crysler em uma comunidade de Betim (MG).

A Drogarias Pacheco doa hoje R$ 100 mil em remédios para Mariana, palco da tragédia ambiental que choca o país.

O fotojornalista Romulo Campos acaba de lançar livro sobre o Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, com 270 imagens da reserva ambiental de Macaé.



Últimas de _legado_Mundo e Ciência