Nelson Bornier: Redenção econômica

Depois de 30 longos anos de espera, finalmente a Baixada ganha o Arco Metropolitano

Por bferreira

Rio - Hoje é dia de festa, de pujança e de muita fé no futuro para cerca de quatro milhões de habitantes da Baixada Fluminense, região do país com enorme patrimônio de valores naturais, culturais, históricos, econômicos e sociais.

Depois de 30 longos anos de espera, finalmente a Baixada ganha o Arco Metropolitano, mais importante obra estratégica de infraestrutura, em tamanho e complexidade, jamais executada no Estado do Rio.

É o reflexo positivo de uma parceria vitoriosa entre União, nos governos Lula e Dilma Rousseff, e estado, iniciada por Sérgio Cabral, seguida agora por Luiz Fernando Pezão com o propósito de agregar à região benefícios necessários à expansão econômica e à melhoria da qualidade de vida de todo o povo fluminense.

Para uma região que já fora estigmatizada pela violência e sua condição de cidade-dormitório, o Arco não só nos permite vislumbrar um novo, contínuo e incontestável processo de desenvolvimento, como também mexe de maneira radical com a autoestima de um povo aguerrido, valoroso, persistente e determinado a viver em busca de valores que lhe proporcionem cidadania e dignidade diariamente.

Incentivado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), o Arco marca o início de uma nova era, sobretudo para quem investiu, como eu, toda a vida pública em torno de um sonho maior de ver este corredor de escoamento do progresso e do desenvolvimento da Baixada se tornando realidade.

O Arco é mais que uma simples artéria a desafogar o tráfego caótico da Região Metropolitana. É fundamental para a economia e a logística do Estado, com expectativa de geração de milhares de novos empregos nos próximos anos, em áreas que hoje ainda são inexpressivas economicamente.

São 71 quilômetros de enorme esperança para o desenvolvimento de Duque de Caxias, Nova Iguaçu, São João de Meriti, Queimados, Nilópolis, Belford Roxo, Japeri, Seropédica e Itaguaí, cidades que estão de braços abertos aguardando a chegada de grandes empreendedores, ávidos por fomentar o crescimento e o progresso que almejamos para nossa região.

O Arco chega para criar oportunidades de negócios e novos caminhos, facilitando o ir e vir entre cidades da Baixada, promovendo um novo Rio, mais competitivo, com a chegada de distritos industriais, negócios e moradias novas, de olho em um novo eldorado que surge de um horizonte voltado para o progresso e desenvolvimento do país. O Arco Metropolitano é a redenção econômica tão sonhada para a Baixada.

Nelson Bornier é prefeito de Nova Iguaçu

Últimas de _legado_Opinião