Frei Betto: O valor do teu voto

Investiga teu candidato, conheça-lhe os atos, as ideias, a vida pregressa e, sobretudo, a ética

Por O Dia

Rio - Nas eleições deste ano, não te submetas ao desencanto, fraudando o teu voto como moeda sem valor. Lembra que a humanidade não conhece melhor caminho de avanço fora do processo democrático de livre escolha dos governantes. Amesquinhar o voto é abrir espaço à corrupção e rejeitar a democracia como meio legítimo e pacífico de conquistas sociais.

Nas eleições deste ano, não te iludas com o marketing que aplica aos candidatos um arsenal de cosméticos capaz de torná-los todos simpáticos, confiáveis, dispostos ao mais imaculado desempenho caso se elejam. Nem te deixes enganar pela retórica das promessas enganosas, das frases de efeito, dos compromissos tão generosos quanto quem dá esmolas para se ver livre dos pedintes. Investiga teu candidato, conheça-lhe os atos, as ideias, a vida pregressa e, sobretudo, a ética de suas atitudes e escolhas.

Não te deixes saturar de nojo pela política e repúdio às instituições, pois são elas que nos permitem o acesso a direitos, liberdade e cidadania, sem trilhar a sofrida via do conflito armado, do terrorismo, da quebra da convivência democrática. 

Lembra que todos os detalhes de tua vida resultam da qualidade da política que predomina no país: o alimento que ingeres, o transporte que utilizas, o salário que recebes, a cultura que respiras, a segurança que desfrutas. Se a política serve à maioria, reduzem-se as desigualdades sociais, o desemprego, a violência, a miséria e a fome.

Teu voto pode alterar ou reforçar tão injusta realidade ao eleger homens e mulheres para governar o Brasil. Tomara que os teus candidatos sejam pessoas imbuídas dessa ousada visão humanista que forjaram Tiradentes, Padre Cícero, Chico Mendes, Irmã Dulce, Francisco Cândido Xavier, Betinho, Dom Helder Camara e todos aqueles que tombaram sob a ditadura militar em defesa da democracia.

Nas eleições deste ano, não te deixes embalar pelo entusiasmo fácil, as frases de efeito em vinhetas televisivas, a música envolvente, o discurso enfático. Nem permitas iludir-te por impressões superficiais. Debate com teus amigos, lê análises, convoca candidatos e partidos à sabatina, reflete, tenha clareza do projeto de nação que alimenta teus sonhos. Se te mantiveres indiferente e repudiares a campanha, outros haverão de escolher por ti, e pode ser que elejam quem haverá de contrariar teus direitos e anseios.

Frei Betto é autor de ‘A mosca azul’ (Rocco)

Últimas de _legado_Opinião