Leda Nagle: Dormir bem é um santo remédio

Sono perdido é sono perdido. Não adianta dormir muito no final de semana pra compensar, nem dormir fracionado

Por O Dia

Rio - As pesquisas publicadas esta semana foram de tirar o sono. Estudos da Organização Mundial de Saúde afirmam que dormir pouco é tão prejudicial à saúde quanto fumar cigarros, beber todo dia ou ser sedentário. Se você é do tipo que dorme menos de sete horas ou sete horas e meia por noite é com você mesmo que eles estão falando. Não dormir bem aumenta em quatro vezes a chance de sofrer um ataque cardíaco, ou ter morte súbita, alertam.

E a cada noite, nestes tempos modernos, dormimos menos. E sono perdido, dizem os especialistas, é sono perdido. Não adianta dormir muito no final de semana pra compensar, nem dormir fracionado. A neurologista Andrea Bacelar é taxativa: “Hoje em dia vivemos o principal transtorno do sono, o sono insuficiente”. Na verdade, estamos dormindo cada vez menos há muito tempo. A gente dorme cada vez mais tarde e acorda cada vez mais cedo. Por conta do trânsito, do trabalho, das preocupações e das novas tecnologias. Quantas vezes você já se pegou, na sua própria cama, contando o número de horas que vai poder dormir? Certamente muitas.

Sabia que ninguém deveria, em nome da saúde, acordar com estímulos, tipo relógio ou telefone? Todo mundo deveria despertar naturalmente. Mas pouca gente pode se dar este luxo. O dia é menor do que precisamos, e a gente acaba compensando a falta de tempo com a diminuição do tempo de sono. Dormir não é perda de tempo, como as crianças costumam dizer. Dormir é necessidade, é um jeito de aumentar a nossa imunidade e, claro, ter mais saúde. Sabia também que acordar várias vezes à noite para ir ao banheiro, por exemplo, não é bom sinal? Para os homens significa a possibilidade de problemas na próstata e para as mulheres apneia do sono, ou seja, você acorda porque para de respirar. E quando a pessoa sofre deste mal, vai mais vezes ao banheiro durante à noite porque a bexiga enche mais rápido.

Claro que, cada um, tem um número de horas de sono necessárias para o bem viver, mas dormir menos prejudica a saúde. Tem gente que dorme quatro horas e fica bem, mas isto é exceção. Os idosos dormem pouco, tem a imunidade mais baixa e 80% deles têm a tal da apneia do sono. Outra novidade: a noite de domingo para segunda é a de maior índice de insônia por conta daquele soninho de depois do almoço que desorienta seu organismo. Resumo da ópera: trate de se reorganizar, colocar ordem no seu dia a dia se quiser dormir melhor. Não tome remédios para dormir, atrapalham sua memória. No máximo um chá de alface com maçã, ou de camomila ou de capim limão, apague a luz, deixe a tecnologia de lado e tenha um bom sono. Vamos conferir?

E-mail: comcerteza@odia.com.br

Últimas de _legado_Opinião