Infrações do presidente do Detran revoltam cariocas

Avelino não teve coragem nem de explicar as infrações. Nesta quarta-feira parou no estacionamento

Por O Dia

Rio - Reportagem publicada pelo DIA na edição desta quarta-feira mostrando o presidente do Detran-RJ, Fernando Avelino, infringindo leis de trânsito, mudou o comportamento dele na manhã de ontem. Os flagrantes exibiam o carro do órgão usado por Avelino parando na faixa do BRS (onde automóveis são proibidos até de trafegar) e embaixo de placa de “proibido estacionar” na Avenida Presidente Vargas, uma das mais movimentadas do Centro — ali ele desembarcava, embarcava e deixava o veículo estacionado. Nesta quarta, ele usou o estacionamento a que tem direito ao chegar no trabalho, segundo funcionários e trabalhadores de empresas vizinhas.

Avelino desembarca na manhã de terça-feira em faixa do BRS%2C onde é proibido. Carro ficou estacionado no local depoisAlessandro Costa / Agência O Dia

O péssimo exemplo do presidente da autarquia que existe para fiscalizar e cobrar o cumprimento do Código de Trânsito Brasileiro no estado deixou indignados motoristas que já foram multados em áreas proibidas, mesmo com muito menos risco de causar um acidente. “O próprio presidente do Detran não respeita leis de trânsito. É esculacho”, desabafou a servidora pública Mírian de Paula, de 48 anos, multada há duas semanas no Centro. “A placa indicava tolerância de duas horas. Mas não demorei nem uma (hora) e fui multada”, argumentou Mírian.

O assunto foi amplamente debatido nas redes sociais. Especialistas também reprovaram a atitude do presidente do Detran, que nem ao menos comentou o assunto ontem. O governador Sérgio Cabral também optou pelo silêncio sobre o caso.

PRF vai apurar

“Sem dúvida, esse ranço autoritário, que atravessa a nossa História de ponta a ponta, leva, inclusive, alguém incumbido de zelar pelas leis do trânsito a violar as regras numa das principais vias da cidade e em plena luz do dia. Isso é movido pela certeza de quem acha que está acima da lei e ficará impune”, criticou o sociólogo e professor da PUC Aluízio Alves Filho.

A Polícia Rodoviária Federal vai abrir procedimento administrativo interno para apurar porque a viatura estava parada em frente ao Detran, o que pode gerar uma advertência ao agente.

Após o mau exemplo%2C outro carro estava parado ontem no local onde Fernando Avelino cometeu infraçãoAlessandro Costa / Agência O Dia

'Cidadão comum é multado mesmo sem sinalização’

Na contramão do bom senso, a impunidade que Fernando Avelino desfruta está longe dos ‘simples mortais’, como o designer gráfico Sidnei Nunes, 45, multado em 30 de junho, no Méier.

“Estacionei num recuo para ambulância. Não reparei que havia sinalização no asfalto. Como não tinha a opção ‘estacionar em recuo para ambulâncias’ no talão de multa, o guarda (municipal) escreveu que eu tinha parado na faixa de pedestre e sobre a calçada. É tudo mentira”, lamentou.

Fabi Barbosa diz que parou onde não havia sinalização. Ao reclamar%2C ouviu que viciados roubam as placasAlessandro Costa / Agência O Dia

“Fiquei indignada com a multa (infração grave, com perda de cinco pontos na carteira) que recebi em março por parar em local proibido, em frente ao Norte Shopping (no Cachambi). Não havia placa alguma e, quando fui reclamar no Detran, apenas comentaram que viciados em crack roubam com frequência as placas para vender a ferros-velhos. Quem multa não tem tolerância alguma, mesmo quando a sinalização não existe”, reclamou a comerciante Fabi Barbosa, 36.

Colaborou Hilka Teles

Últimas de Rio De Janeiro