Instrutores de direção vão retornar às salas de aula

Medida se deve ao alto índice de reprovação dos futuros motoristas . Autoescolas são contra

Por O Dia

Rio - A cada dez candidatos que fazem exame de direção para obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) no Estado do Rio apenas quatro são aprovados. Entre os futuros motociclistas, somente três conseguem a carteira. Para tentar reverter esse quadro, o governo federal vai aplicar um provão obrigatório, já a partir do início deste ano, para todos os responsáveis por formar os condutores. A intenção é melhorar a qualidade dos motoristas brasileiros, avaliando o desempenho dos examinadores do Detran e instrutores de autoescolas. 

A universitária Ana Carolina, que tenta tirar carteira, critica a demora entre o término das aulas e a data para fazer a prova de direção: “Vou ter que pagar mais aulas extras para não esquecer o que aprendi”André Mourão / Agência O Dia


A medida é polêmica e enfrenta resistência dos Centros de Formação de Condutores (CFCs). Para o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino para Condutores (Sindaerj), o alto índice de reprovação ocorre em função do baixo número de aulas práticas. “Com 20 horas de direção ninguém sai preparado para enfrentar o trânsito”, critica o presidente da entidade, João Ribeiro, que defende ampliação da carga horária para 30 horas.

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) informou que o projeto do Exame Nacional de Instrutores e Examinadores de Trânsito (Enit/Enet) está em fase final de elaboração e deve ser implementado ainda em janeiro. Os 6.393 instrutores ativos no estado farão curso a distância de 60 horas antes da avaliação. Será aprovado o candidato que acertar 70% das questões. Os instrutores que forem reprovados serão impedidos de exercer a profissão. Terão que voltar às salas de aulas e passar por um curso de requalificação no Detran de seu estado. A ideia é aplicar os exames a cada três anos.

De acordo com o órgão, de janeiro a novembro, o índice médio de aprovação foi de 44%. Alunos que já foram reprovados no exame de direção reclamam dos examinadores. “Falta critério aos fiscais de prova e tolerância ao nervosismo do aluno. Às vezes estão de mau humor e falando ao telefone. Deveria haver um padrão a ser seguido por todos eles”, critica o estudante de Direito, Daniel Ramos, 23 anos, que vai tentar pela segunda vez passar no exame de direção. 

Alunos reclamam do calendário 

A longa espera para fazer o exame de direção no Estado do Rio é apontada por alunos e instrutores como a principal responsável pela elevada reprovação. De acordo com o Detran-RJ, o candidato leva, em média, 52 dias para marcar a prova. “A culpa não é do instrutor. O aluno aguarda tanto tempo que acaba por perder a prática”, queixa-se o professor Eduardo Manhães, da Autoescola Jaqueline, em Madureira, na Zona Norte.

A universitária Ana Carolina dos Santos, 22 anos, vai concluir as aulas práticas este mês e fará a prova só no fim de março. “Vou ter que pagar mais aulas extras para não esquecer o que aprendi”, diz ela, que aprova o exame nacional dos instrutores. “Se for para melhorar a aprovação, sou a favor.” 

Para o presidente do Sindaerj, João Ribeiro, faltam examinadores. “Tenho 40 alunos para tirar habilitação de moto, mas só consegui marcar exame para sete”, diz. De acordo com o Detran do Rio, o órgão tem 262 examinadores para atender todo o estado. Em Minas, o número chega a 800.

Últimas de Rio De Janeiro