Trapalhada do PSB do Rio cria situação inusitada no caso Romário

Deputado ‘preside’ partido no Rio, mas, para a Justiça Eleitoral, ele não é filiado. Vice-presidente regional garante que clima é de ‘tranquilidade’

Por O Dia

Rio - Apesar de a Justiça Eleitoral informar que o deputado federal Romário não está filiado a qualquer partido, o PSB do Rio vive situação inusitada. Certidão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) diz que o ex-jogador “não está filiado a partido político”. Mas no site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro, Romário aparece como “presidente da comissão executiva” do PSB que foi instalada ano passado depois da crise que levou à saída do prefeito de Caxias, Alexandre Cardoso, do partido. Na prática, Romário é o presidente regional do partido ao qual ele não é filiado.

Eduardo Campos (dir.) esteve presente na filiação de Romário ao PSBDivulgação

“A filiação de Romário foi pública, em 26 de setembro de 2013, e ele está com toda a disposição de se candidatar. Nosso sentimento é de tranquilidade”, disse ontem o deputado federal Glauber Braga (PSB-RJ), vice-presidente da comissão provisória que assumiu o partido com a saída de Alexandre do comando da legenda no Rio.

Romário, que havia se desfiliado do PSB em agosto, voltou em setembro, pelas mãos do governador de Pernambuco e presidente nacional do partido, Eduardo Campos. O Baixinho ainda vai decidir se será candidato à reeleição ou a senador.

Para Glauber, “se ainda não chegou a informação (ao TSE), aí, são outros 500”. Segundo ele, por enquanto, o PSB avalia que não é preciso acionar seus advogados.

Últimas de Rio De Janeiro