Mais categorias querem R$ 20

Saúde e Educação pressionam município a reajustar o vale-refeição

Por O Dia

Rio - O aumento de 67% no vale-refeição dos garis da Comlurb — o benefício subiu de R$ 12 para R$ 20 por dia — despertou servidores públicos da Saúde e Educação, as duas principais categorias da Prefeitura do Rio, para lutarem pelo benefício. As representações sindicais já se articulam para reivindicar junto ao prefeito Eduardo Paes o mesmo direito concedido aos garis.

O Sepe (Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio) faz assembleia no próximo sábado com indicativo de greve ou um dia de paralisação para pressionar o Executivo a aumentar o valor do benefício e dar continuidade aos temas pedagógicos acordados em 2013.

O presidente do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro, Jorge Darze, ressaltou que o movimento dos funcionários da Comlurb é legítimo, mas defendeu o tratamento igualitário entre o funcionalismo: “Os garis estão de parabéns. Eles incentivaram outras categorias a colocar os blocos mais cedo nas ruas. Já estamos consolidando nossas pautas de reivindicação para 2014.”

Integrante da coordenação do Sepe, Suzana Gutierrez destacou o princípio da isonomia de benefícios entre os servidores da prefeitura: “É justo que os trabalhadores, não importa a categoria, ganhem o mesmo valor. O professor e os demais funcionários da Educação também se alimentam fora de casa”.

Ela ainda parabenizou os garis pela legitimidade do movimento e pelas conquistas obtidas. Em 2013, a Educação também exigiu aumento no valor do vale-refeição, mas a prefeitura não concedeu o aumento.

O benefício é pago para cerca de 64 mil servidores da administração direta, autárquica e fundacional. Está congelado desde 2012. Têm direito de receber os funcionários que ganham até sete salários mínimos (R$ 5.068).

Últimas de Rio De Janeiro