Bando ataca chefe do Estado-Maior da PM na saída de concessionária

Coronel Ricardo Pacheco, '02' da corporação, foi vítima de atentado na Barra, quando trocou tiros com oito bandidos

Por O Dia

Rio - A Polícia Civil está investigando o atentado sofrido pelo chefe do Estado-Maior Administrativo da PM, coronel Ricardo Coutinho Pacheco, de 52 anos, na quinta-feira. O oficial saía de concessionária de automóveis na Barra da Tijuca, quando foi surpreendido por oito homens em quatro motos. O oficial, que estava em um veículo blindado da corporação, atropelou um dos veículos e chegou a trocar tiros com os bandidos. Na fuga, ele bateu em vários carros e ultrapassou diversos sinais até chegar à delegacia, onde pediu ajuda.

Pacheco chegou a passar por cima de uma moto%2C quinta-feira à noite Paulo Araújo / Agência O Dia

Policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca) e do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) chegaram a realizar buscas na região, mas os criminosos não foram localizados. Na hierarquia da PM, o coronel Ricardo Pacheco divide o segundo posto — atrás do comandante-geral da corporação, coronel José Luís Castro Menezes — com o coronel Paulo Henrique Azevedo de Moraes, chefe do Estado-Maior Operacional.

Ex-superintendente da Guarda Municipal do Rio, de janeiro de 2009 a abril de 2011, o coronel Ricardo Pacheco estava na Diretoria de Geral de Ensino e Instrução (DGEI) quando foi convidado para a assumir o Estado-Maior Administrativo, em agosto de 2013. O oficial, que já comandou o 12º BPM (Niterói), atualmente é responsável pela condução do planejamento estratégico da Polícia Militar relativo às áreas de ensino, saúde, recursos humanos e orçamentária e financeira, atuando como ordenador de despesas da corporação.

O oficial, que não foi localizado para comentar a ação, está na PM desde 1982, sendo membro da turma de oficiais na ativa mais antiga do Rio. Ele se formou em Direito pela Universidade Gama Filho, em 1990.

Últimas de Rio De Janeiro