Dias de celebração para o padroeiro dos jornaleiros

Missas e festejos em homenagem a São Francisco de Paula acontecem desde sexta. Domingo, haverá procissão na Barra

Por O Dia

Rio - Entretantas manchetes sobre uma realidade difícil, o jornaleiro também tem um santo protetor para pendurar na prateleira das bancas. Neste fim de semana, serão celebradas as festas em homenagem a São Francisco De Paula, o padroeiro da categoria. A celebração começou no início da noite de ontem, reunindo fiéis e devotos na paróquia do santo, na Praça Euvaldo Lodi, na Barra da Tijuca, com uma homenagem à santidade, que é considerada o ‘O Eremita da Caridade’, por ter se dedicado integralmente em vida ao socorro ao próximo.

A partir das 17h da hoje, serão rezadas duas missas. À noite haverá uma apresentação musical. Mas é no domingo que haverá a maior mobilização dos devotos, para acompanhar uma celebração presidida pelo cardeal -arcebispo Do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, às 16h, com presença do Cônsul da Itália no Rio. A procissão seguirá da igreja até a Praia da Barra, onde será feita uma bênção. Um fragata irá receber os religiosos. Além dos jornaleiros, o santo também é padroeiro dos marinheiros.

O cardeal-arcebispo do Rio%2C Dom Orani Tempesta%2C rezará missa na Paróquia São Francisco de Paula%2C na BarraBruno de Lima / Agência O Dia

“Os jornaleiros antigos são muito devotos. É uma tradição que veio da Itália, junto com os imigrantes. Eu sou mais novo, mas essa fé passou de pai para filho. Me sinto bem em saber que tenho um protetor”, disse Cesar Giuseppe, 32 anos, sobre a ligação entre São Francisco de Paula e os jornaleiros.

Pároco da Igreja, Frei Dino destacou a fé dos jornaleiros. “Embora não haja vínculo político, a ligação entre os jornaleiros e o santo é de muito afeto, por isso muitos comparecem. Foi a comunidade italiana de jornaleiros que ajudou a construir essa igreja. Em 1972 eu ia por toda a cidade recolher as doações deles”, recorda.

Últimas de Rio De Janeiro