Prefeito justifica atraso nas obras do Teleférico da Providência

Segundo Eduardo Paes, Prefeitura errou ao não dialogar com moradores. Obra foi embargada após insatisfação de famílias

Por O Dia

Teleférico da Providência começou a circular nesta quarta-feiraAlessandro Costa / Agência O Dia

Rio - O prefeito do Rio, Eduardo Paes, participou na manhã desta quarta-feira do início da operação do Teleférico da Providência, um ano após a sua inauguração, quando fez a sua única viagem. Para justificar o atraso nas obras, Paes reconheceu que faltou um diálogo mais próximo com quem vai precisar de verdade do transporte: os moradores. 

"A prefeitura errou ao não dialogar com os moradores. Corrigimos algumas informações porque teve o embargo da obra. Por isso a demora para inaugurar. Fizemos os ajustes necessários para eles entenderem que era um benefício", disse.

Antes, muitos moradores reclamavam do atraso das obras e da falta de informação sobre o novo serviço. Com isso, dez familias insatisfeitas entraram com uma representação na Defensoria Pública do Rio, o que embargou as intervenções e forçou os ajustes necessários feitos pela prefeitura.

O teleférico vai ligar a Praça Américo Brum à Central do Brasil e à Gamboa. Com passagem gratuita, a viagem percorrerá 721 metros em aproximadamente 5 minutos e levará acessibilidade a mais de 5 mil moradores do Morro da Providência.

Nos próximos dois meses, este serviço funcionará em horários e condições especiais, para execução de testes e treinamento de pessoal, dividindo-se no total em três fases de teste. Após o total funcionamento, o teleférico funcionará de segunda a sexta-feira, das 6h às 21h, aos sábados, das 7h às 19h e domingos e feriados, das 9h às 18h.

Também foram entregues uma Clínica da Família— com funcionamento dentro da estação Gamboa —, a casa Rio Digital e uma Academia da Terceira Idade.

Serviço funcionará em horários e condições especiais%2C para execução de testes e treinamento de pessoalAlessandro Costa / Agência O Dia


Últimas de Rio De Janeiro