Por thiago.antunes

Rio - Nem só de chopes e esportes à beira-mar vive um pós-praia tipicamente carioca. Neste verão, será justamente quando o sol se puser que banhistas e frequentadores de Copacabana poderão mergulhar em uma viagem de volta ao tempo em que os ares do Rio Antigo embalavam as ondas da Princesinha do Mar. O restauro de 73 postes construídos nos anos 1930, em estilo clássico, fará com que as luzes da Avenida Atlântica retomem parte de um brilho que parecia perdido pelo abandono.

Até dezembro, o Colar de Pérolas, como é conhecido o conjunto de luminárias históricas, volta a fazer parte da paisagem local. Orçada em R$ 707 mil, a obra será concluída antes da queima de fogos do Réveillon. Deteriorados pela ação do tempo — e de vândalos — os postes construidos em ferro fundido foram alvo de estudo antes de decidida a técnica ideal para trazê-los de volta ao protagonismo.

Os postes dos anos 1930 da Av. Atlântica formam o chamado Colar de Pérolas%3A um ícone do Rio AntigoDivulgação

“Profissionais especializados usarão métodos similares aos postos em prática nas obras de arte dos grandes museus. E, como estamos falando de ‘monumentos funcionais’, as antigas lâmpadas de mercúrio darão lugar às modernas luzes foto-metálicas, com alcance maior”, explica o presidente da RioLuz, Henrique Pinto.

Não é para menos. Há 80 anos, as capas de jornais noticiavam a inauguração como “o sinal dos novos tempos” e a potência das luzes como complemento perfeito ao Copacabana Palace. Por isto, os esforços para fazer com que as instalações — que se estendem do Leme ao Posto 6 — voltem a ter lugar de destaque na Cidade Maravilhosa não param por aí.

Caixas e redes elétricas de alimentação serão reconstruídas integralmente, com tecnologia de ponta. O exterior, por sua vez, receberá raspagem da pintura remanescente e uma nova camada de tinta anticorrosiva. No subsolo, uma nova linha de dutos subterrâneos será instalada. “Por dentro, postes modernos. Por fora, ícones históricos”, define o empolgado Henrique Pinto.

Alvos de frequentes furtos por conta do metal nobre em que foram construídos, as luminárias terão suas ‘janelas de ferro’ estrategicamente camufladas: os acessos construídos para possibilitar os serviços de manutenção serão pintados na mesma cor e parcialmente fundidas à base dos postes históricos.


‘Poucas coisas em todos os tempos são tão Copacabana’ - Luiz Alfredo Garcia-Roza, escritor, 78 anos

“Quando lembro da minha infância e adolescência na Rua 5 de Julho, me voltam à memória as imagens dos postes que formavam o imponente Colar de Pérolas. Era impossível — até mesmo para uma criança — passar pela Avenida Atlântica sem se impressionar com os grandes lampiões de luz, cuidadosamente esculpidos, que simbolizavam a modernidade da época. Poucas coisas, em todos os tempos, foram tão ‘Copacabana’. A saudade só aumenta enquanto observo os novos postes do Aterro, debruçado em uma janela. É a feiura em nome da funcionalidade. Impossível não me inspirar ao imaginar a beleza clássica a serviço do século 21. E que os turistas que se encantam com o pôr do sol e o desenho formado pelas pedras portuguesas também voltem para casa com o Colar de Pérolas em suas recordações.”

Profissionais especializados estão fazendo um trabalho de restauração histórica na orla de CopacabanaDivulgação

Igreja da Penha, a próxima

Na sequência do restauro do Colar de Pérolas, a RioLuz deve iniciar, até o início do ano que vem, o trabalho de ‘revitalização luminária e cênica’ da Igreja da Penha. A construção — vista de vários pontos da Zona Norte — receberá iluminação externa específica, para valorizar sua arquitetura. Técnica similar já é empregada, em eventos especiais, no Cristo Redentor, que recebe as mais diversas tonalidades. O início da interveção no alto do Morro da Penha depende de autorização do prefeito Eduardo Paes.

Você pode gostar