Revisão tarifária pode elevar barca e metrô

Além do anual, concessionárias têm direito a reajuste quinquenal

Por O Dia

Rio - O ano pode ser de novas surpresas tarifárias para os passageiros de barcas e metrô, que já foram avisados dos próximos reajustes. Isso porque vai para votação na Agência Reguladora dos Serviços Públicos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio (Agetransp), nos próximos meses, os relatórios feitos pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), referentes à revisão quinquenal do sistema de transporte aquaviário e do MetrôRio.

O resultado pode sugerir uma redução do valor das passagens, a manutenção do preço ou um aumento com base num possível desequilíbrio econômico financeiro das contas das concessionárias. Cada vez que o contrato de concessão estadual dos sistemas de transporte público — exceção apenas para os ônibus — completa cinco anos, é permitida a revisão do acordo firmado com o governo, o que pode influenciar no preço da tarifa.

Além disso, há o tradicional reajuste anual. No caso do metrô, o novo valor, que ainda não foi divulgado, começa a vigorar em abril. Fora isso, há o estudo da FGV, que é justamente o levantamento do contrato. De acordo com a Agetransp, o ‘vencimento’ do quinto ano aconteceu, pela última vez, em janeiro de 2013, e o relatório está previsto para entrar em pauta este ano ainda.

Já nas barcas, a situação foi definida. O governo autorizou reajuste de 5,75%. Com isso, a tarifa vai de R$ 4,80 para R$ 5. O aumento vai começar a valer no próximo mês. No caso ainda do sistema aquaviário, o levantamento feito pela FGV foi concluído e encaminhado à Agetransp no ano passado.

Esse relatório refere-se ao quinquênio completado em fevereiro de 2013. O documento ainda precisa passar por análise da Câmara de Política Econômica e Tarifária (CAPET) e do conselheiro relator antes de ser colocado em pauta na sessão regulatória. Segundo a Agetransp, o período de referência para a revisão quinquenal do sistema ferroviário, da Supervia, é novembro.

Últimas de Rio De Janeiro