Alvo de investigação, Luciano Mota acabou com cargos comissionados

Vai ficar mais difícil comprovar a existência de funcionários fantasmas na Prefeitura de Itaguaí

Por O Dia

Rio - Alvo de investigação da Polícia Federal, o prefeito de Itaguaí, Luciano Mota (PSDB), exonerou todos os ocupantes de cargos comissionados do município que não integram o primeiro escalão. Mas a portaria não traz os nomes dos demitidos — o contribuinte não tem como saber quem eram os beneficiados com vagas obtidas sem concurso público. 

Com a exoneração coletiva vai ficar mais difícil comprovar a existência de funcionários fantasmas — pessoas indicadas por aliados e vereadores que receberiam sem trabalhar.

Em queda

Na portaria, o tucano, investigado por desvio de verbas, diz que as demissões são por conta da queda na arrecadação.

Tamborins de molho

O governo estadual ainda não depositou R$ 8 milhões para as escolas de samba — R$ 6 milhões iriam para as do Grupo Especial. Como Pezão anunciou cortes, tem muito sambista preocupado. Hoje, representantes das agremiações vão se reunir com a Secretaria de Turismo.

Sob medida

Pedro Paulo Carvalho assumirá a Secretaria Executiva de Coordenação de Governo, criada sob medida para ajudar a consolidar seu nome como candidato à sucessão de Eduardo Paes. Caberá a Pedro Paulo cuidar de programas prioritários, como a fábrica de escolas, as clínicas da família e o Cartão Família Carioca.

Menos quentões

Um pouco de alívio para o calor. Neste janeiro, 83 novos ônibus com ar condicionado começam a rodar pela cidade.

Golpe e contragolpe

O golpe do falso sequestro voltou. Dica: ao receber uma ligação a cobrar, não fale nada, o bandido fica desesperado ao não saber se deve gritar pelo “pai” ou pela “mãe”.

Últimas de Rio De Janeiro