Justiça pede prisão preventiva de suspeitos de matar jovem na Baixada

Magistrada afirmou na sentença que é as prisões são imprescindíveis pela 'periculosidade dos detidos'

Por O Dia

Rio - A prisão preventiva de dois suspeitos pela morte de Tayenne Rodrigues Pereira Abreu, de 22 anos, assassinada nas primeiras horas de 2015, na Baixada Fluminense, quando voltava do Réveillon de Copacabana, foi conceida neste sábado pela juíza Lysia Maria Mesquita Amaral Figueira, do Plantão Judiciário de Duque de Caxias. A magistrada afirmou na sentença que é as prisões são imprescindíveis pela “periculosidade dos detidos.”

Márcio Rocha da Silva e Carlos Henrique da Silva foram presos em flagrante na última sexta-feira pelo crime de porte ilegal de arma e munição e tiveram pedida a prisão temporária de 30 dias por este crime. As armas foram encontradas com eles, assim como o celular de Tayenne. 

Tayenne comemorava a chegada de 2015 poucas horas antes de morrerReprodução Instragram

O nome do terceiro suspeito preso na ocasião não foi divulgado. O delegado da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense, Wellington Vieira, afirmou que a jovem foi morta porque, após ser assaltada, se recusou a entrar no carro dos criminosos que queriam atacá-la.

Últimas de Rio De Janeiro