Degase muda e menores infratores não são mais identificados por números

Agentes, quando questionados sobre essa prática, alegavam que não tinham como saber os nomes de todos os internos

Por O Dia

Rio - O Diário Oficial do estado publicou no dia 10 de fevereiro a decisão judicial que determina que os menores infratores internados no Degase não sejam tratados por números, mas sim pelo nome. A sentença foi proferida há um ano e quatro meses, depois de uma ação movida pela ONG Projeto Legal, em 2008.

“Quando o adolescente passa a ser chamado por número, perde a identidade com o mundo externo”, diz Mônica Alkimim, presidente do Conselho Estadual de Defesa da Criança e do Adolescente.

Segundo Carlos Nicodemos, presidente do Projeto Legal, havia muitas reclamações dos adolescentes, que preferiam ser chamados por seus nomes.

“Os agentes, quando questionados sobre essa prática, alegavam que não tinham como saber os nomes de todos os internos. Porém, observamos que os jovens eram rapidamente identificados e chamados por seus números. Restava a eles assumirem o estereótipo, com comprometimento da construção da personalidade”, disse Nicodemos.

De acordo com o governo do Estado, embora a medida tenha sido publicada há três semanas, a norma foi estabelecida desde o ano passado.

Últimas de Rio De Janeiro