'Papai Noel' que abusava de menores tem prisão preventiva decretada

Após perícia realizada no computador do acusado, polícia encontrou fotos e vídeos pornográficos envolvendo crianças

Por O Dia

Rio - Policiais da 35ª DP (Campo Grande) concluíram o inquérito que investigava o abuso sexual que o neozelandês Paul Barry Clark cometeu contra um menino de 9 anos, na Zona Oeste. Ele, que se aproveitava da aparência semelhante com a do Papai Noel para agir, teve sua prisão temporária convertida em prisão preventiva pela Justiça. O acusado é investigado pelo mesmo crime contra outras crianças em outro inquérito.

LEIA MAIS: Polícia investiga se 'Papai Noel' também abusava da própria filha menor

A perícia no computador apreendido na casa de Paul encontrou diversas fotos e filmagens de conteúdo pornográfico envolvendo diversas crianças e adolescentes. Ele foi indiciado por estupro de vulnerável e produção e armazenamento de cenas pornográficas envolvendo crianças ou adolescentes. As penas, previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), variam de três a oito anos de prisão e, somadas, podem chegar a 27 anos.

Neozelandês Paul Barry Clarck foi preso por policiais da 35ªDP (Campo Grande) acusado de usar sua semelhança com Papai Noel para abusar de criançasDivulgação

Um outro inquérito em andamento na 35ª DP, com outras quatro vítimas menores, também investiga o abuso sexual e filmagem das vítimas, mediante o pagamento que variava entre R$ 20 e R$ 50.

Últimas de Rio De Janeiro