Polícia Militar inicia ocupação de favelas da Maré em substituição ao Exército

Duas comunidades estão ocupadas. Batalhão de Choque estão baseados nos acessos à Praia de Ramos e Roquete Pinto

Por O Dia

Rio - Policiais do Batalhão de Choque da PM iniciaram no fim da noite desta terça-feira a ocupação de duas das 16 favelas do Complexo da Maré que eram patrulhadas pela Força de Pacificação do Exército há um ano. O início do processo de transição, iniciado pelas comunidades Praia de Ramos e Roquete Pinto, foi realizado de forma tranquilo na região. 

Nos principais acessos às comunidades há viaturas baseadas e 50 policiais farão o patrulhamento. A substituição das Forças Armadas será feita paulatinamente até 30 de junho deste ano por um efetivo de 1,4 mil PMs. Não foram registrados incidentes até o momento.

A PM deu início a ação promovendo um cinturão de segurança desde às 20h de terça-feira. Pouco antes da meia-noite, policiais em viaturas entraram nas duas comunidades. No entanto, não foram vistas viaturas e militares do Exército deixando as duas comunidades.

A partir das 6h estava prevista a ação de homens do Grupamento Tático de Motociclistas (Getem) na Roquete Pinto e na Praia de Ramos.

A estratégia é parte do planejamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública para pacificar o território, formado por 16 comunidades. O procedimento foi estabelecido conforme protocolo de cooperação assinado no dia 7 de janeiro deste ano, entre o Governo Federal, as Forças Armadas e o Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Também segundo a PM, 220 agentes continuarão atuando no complexo da Maré e este efetivo já estaria sendo preparado para atuar no patrulhamento e no atendimento a ocorrências como parte do plano de pacificação deste território.

Estes policiais fazem parte da companhia vinculada à Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) e estão, desde novembro do ano passado, atuando com a Força de Pacificação em todo o complexo da Maré. Os militares farão parte do efetivo da UPP.

Últimas de Rio De Janeiro