Presidente do TJ defende corregedora

Maria Augusta Vaz Monteiro de Figueiredo foi denunciada por nepotismo e proteção a um juiz em caso de assédio sexual

Por O Dia

Rio - Denunciada pelo Sindicato de Servidores do Poder Judiciário — o Sindjustiça — por nepotismo e por ter dado proteção a um juiz em caso de assédio sexual, a corregedora-chefe do Tribunal de Justiça, desembargadora Maria Augusta Vaz Monteiro de Figueiredo, recebeu o apoio do presidente do TJ, Luiz Fernando de Carvalho. As denúncias foram publicadas na coluna ‘Justiça e Cidadania’, do DIA.

JUSTIÇA E CIDADANIA: Sindicato denuncia corregedoria

De acordo com o desembargador, o Sindjustiça não ofereceu provas do suposto assédio sexual. Carvalho contou que num dos casos de suposto favorecimento de familiares, o envolvido já havia falecido e no outro, uma separação judicial estava formalizada, o que, segundo ele, não caracteriza, legalmente, o nepotismo. “Eu vi a representação e não havia um pingo de prova”, disse o presidente do TJ.

Últimas de Rio De Janeiro