Polícia encontra assaltantes de Botafogo com ajuda de aplicativo

Ao ativar localização por GPS, policiais descobriram que criminosos estavam no Flamengo. Um deles foi preso

Por O Dia

Rio - Foi através de um aplicativo, em meio ao pânico provocado por um assalto, que a polícia conseguiu chegar a dois criminosos que roubaram um carro na Rua Eduardo Guinle, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, por volta das 12h40 desta sexta-feira. Por GPS, sistema de localização por satélite, os policiais conseguiram encontrar o celular da vítima, que ficou no veículo, e prenderam um dos bandidos.   

Andréia Salomão, 35 anos, estava com o filho de apenas 5 em uma Tucson prata, quando foi abordada por Carlos Antonio Teixeira da Silva e Leonardo Almeida Rodrigues, ambos de 19 anos. Andréia, que é coordenadora do Colégio Santo Inácio, a 50 metros de onde foi assaltada, encostou o carro para deixar o filho na creche Escola Criativa. Ao sair do veículo, Andréia foi abordada por um dos assaltantes e prensada contra uma grade, quando o assaltante pediu que ela entregasse a chave do carro. Em pânico, a pedagoga considerou não ter reagido da melhor forma, pois, em vez de entregar o que o criminoso exigia, jogou as chaves no meio da rua e tentou se desvencilhar. 

Pedagoga deixava o filho de cinco anos na creche quando foi abordada por criminosos Carlo Wrede / Agência O Dia

Assalto e tiroteio provocam pânico em Botafogo

"Foi tudo muito rápido, na hora não pensei em nada. Só afastei o meu filho e joguei a chave fora num momento de desespero. Apesar disso, eles não foram agressivos com o meu filho. Fiz tudo errado, não deveria ter reagido. Não se pode reagir. No final, pude dar um abraço de alívio no meu filho. Hoje, saímos vivos", disse Andréia, aliviada. 

Enquanto um dos bandidos buscava a chave atirada na via, Andréia ainda teve tempo de abrir a mala do carro e retirar objetos de uma amiga que estavam com ela. Ao fazer isso, o comparsa do homem que a abordou chegou, entrou no carro e os dois fugiram em alta velocidade. Na fuga, ainda deram dois disparos de dentro do carro, para o alto. 

Preso%2C Leonardo Almeida Rodrigues (E)%2C e o foragido Carlos Antonio Teixeira (D)%2C ambos de 19 anos%2C são da Comunidade Jorge Turco%2C em Rocha Miranda Divulgação

Os policiais acionados para a ocorrência, do 2º BPM (Botafogo), pergunraram à vítima o que tinha ficado no carro. Além de documentos, Andréia contou que o celular, um iPhone, também foi levado pelos criminosos. A ideia, então, de acionar o GPS do celular e usar um aplicativo de busca partiu dos próprios policiais, que conseguiram localizar o carro em outro bairro da Zona Sul, no Flamengo. Dois policiais em moto foram acionados e perseguiram os criminosos até a Avenida Presidente Antonio Carlos, no Centro. Lá, os PMs foram alvo dos bandidos, que dispararam contra eles. Por ter pedestres e ser um local bastante movimentado naquele horário, os policiais optaram por não responder à ofensiva. Apesar dos tiros, ninguém ficou ferido. 

Os agentes conseguiram prender Leonardo Almeida, mas Carlos Antonio Teixeira, que tem três passagens por delegacias por roubo de veículos, fugiu. O carro da pedagoga foi recuperado e o caso foi registrado na 10ª DP (Botafogo).

Roubos de veículos e a pedestres crescem todo mês

O número de casos de roubos de veículos e pedestres, em Botafogo, na região onde a pedagoga foi assaltada tem crescido todo mês, em 2015. De janeiro a abril deste ano, foram registrados 31 roubos de veículos e 231 de assaltos a transeuntes, segundo dados do Instituto de Segurança Pública do Rio (ISP).

Apesar do crescimento esporádico, o número de casos nos quatro primeiros meses de 2015 é menor se comparado ao mesmo período, no ano passado, quando foram registrados 40 roubos de carros e 270 assaltos a pedestres. 




Últimas de Rio De Janeiro