Integrantes de quadrilha que furtava casas de chineses são presos

Maior parte do bando é formada por jovens de classe média; eles não são do Rio; seis foram presos e dois seguem foragidos

Por O Dia

Rio - Uma quadrilha especializada em furtar e roubar residências de integrantes da comunidade chinesa no Rio foi identificada e desarticulada por policiais da 12ª DP (Copacabana). Foram presos, em Copacabana, Zona Sul da cidade, Silvio Evangelista Barbosa, Victor Otavio Santos, Christian Ales Janer Signori, Alex Targino de Lima e Joselito de Jesus Santos. No bairro da Mooca, em São Paulo, foi preso Caio Carvalho. Seguem foragidos João Rodrigues dos Santos e Marcos Lam Wong.

De acordo com a delegada Izabela Santoni, titular da unidade, as investigações mostraram que a quadrilha atua com várias células, que agem de forma independente. Os grupos têm, geralmente, cinco integrantes, sendo quatro com idades entre 18 e 21 anos, de classe média e sem anotações criminais, e um mais velho e com passagens pela polícia. Com a prisão dos seis, duas células foram desarticuladas.

Maior parte do bando é formada por jovens de classe média. Eles não são do Rio%2C mas agiam no estadoJoão Laet / Agência O Dia

“As vítimas são escolhidas independentemente de idade e sexo, mas todos são chineses ou descendentes de chineses, em geral bem sucedidos e empresários. Uma vez escolhidas as vítimas e os horários, integrantes da quadrilha entram nos prédios e condomínios sem se identificar, aproveitando brechas na segurança, e se dirigem até o andar da vítima, quando então utilizam ferramentas para arrombar as portas. O alvo da quadrilha são jóias e dinheiro, movimentando algo em torno de R$ 5 milhões”, informou a delegada.

Ainda segundo a Izabela Santoni, os criminosos, todos de São Paulo, vem de tempos em tempos para o Rio, com uma lista de nomes e endereços de possíveis vítimas. Ao chegarem à capital, um dos criminosos fica responsável por telefonar para as casas das vítimas, procurando mapear horários em que não há ninguém em casa, hora escolhida para o cometimento dos delitos.

A quadrilha atuava em todo o estado do Rio de Janeiro, além de Minas Gerais e São Paulo. As investigações continuam para identificar o chefe da quadrilha, responsável por escolher as vítimas.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, Silvio Evangelista Barbosa possui quatro passagens por furtos a residências, sendo três em São Paulo e uma em Minas Gerais; Alex Targino de Lima acumula três passagens por furto a residências em São Paulo; Josielton de Jesus Santos tem passagem por furto; Caio Carvalho por receptação de veículo furtado e porte de drogas; e Victor Otavio Silva Santos e Christian Ales Janer Signori não possuem passagens. O foragido Marcos Lam Wong também não tem passagem. Já João Rodrigues dos Santos, que também está foragido, tem passagem por roubo, furto, porte ilegal de arma.

Últimas de Rio De Janeiro