Homem é preso com 'chupa-cabra' e comparsa por tentar subornar PMs em Copacabana

Antônio Marcelo de Almeida Souza foi detido com o aparelho ao sair de banco. Gilvan Cordeiro da Silva ofereceu R$ 2.500 pela liberdade do comparsa

Por O Dia

Rio - Dois homens foram presos na noite desta quarta-feira, em Copacabana, na Zona Sul, acusados de utilizar um dispositivo eletrônico móvel, conhecido como chupa-cabra, para fraudar o caixa eletrônico de uma agência bancária, no mesmo bairro. Um deles chegou a oferecer R$ 2.500 a policiais do 19º BPM (Copacabana) pela soltura do comparsa.

Gilvan Cordeiro da Silva ofereceu R%24 2.500 aos PMs para seu comparsa%2C Antônio Marcelo de Almeida Souza%2C não fosse preso. Os dois foram levados para a 12ªDPDivulgação / WhatsApp do DIA (98762-8248)

Por volta das 21h50, os PMs detiveram Antônio Marcelo de Almeida Souza, de 33 anos, com um chupa-cabra saindo da agência do Banco Bradesco, na Avenida Princesa Isabel. O estabelecimento bancário foi interditado para perícia e o acusado levado para a 12ª DP (Copacabana).

Enquanto era autuado por furto mediante fraude, o celular de Antônio Marcelo tocou insistentemente. Foi autorizado que o preso atendesse a ligação na frente dos PMs e dos agentes da delegacia. Segundo ele, Gilvan Cordeiro da Silva queria "conversar" com os PMs. Fingindo interesse, um dos policiais militares falou com o suspeito que ofereceu R$ 2.500 pela liberdade de Antônio. Ele marcou um encontro com Gilvan na Francisco Otaviano com Avenida Nossa Senhora de Copacabana, no Posto 6, próximo ao Forte de Copacabana.

Em um veículo descaracterizado, policiais da 12ª DP também seguiram para o local, junto com a guarnição da PM. Após entregar a quantia combinada ao capitão Martinez, Gilvan recebeu voz de prisão. Segundo a PM, na delegacia ele confessou participação na ação no banco com Antônio, mas que fugiu com a chegada da polícia. Ele também foi autuado por furto mediante fraude.

Últimas de Rio De Janeiro