Prefeito de Teresópolis, acusado de improbidade administrativa, é afastado

Arlei de Oliveira Rosa e secretário de Fazenda do município, Geraldo Jorge de Azevedo Carvalho respondem a crime de improbidade administrativa em ação ajuizada pelo MP

Por O Dia

Rio - O prefeito de Teresópolis, Arlei de Oliveira Rosa, e o secretário de Fazenda do município, Geraldo Jorge de Azevedo Carvalho, foram afastados dos cargos por seis meses, segundo determinação da Justiça. Os dois respondem pelo crime de improbidade administrativa em ação ajuizada pelo Ministério Público. Apesar de afastados, os dois continuarão a receber salários normalmente. 

Na decisão, o juiz titular da 2ª Vara Cível de Teresópolis, na Região Serrana do estado, Mauro Penna Macedo Guita, decidiu também decidiu que os bens dos dois acusados estejam indisponíveis. Segundo os autos do processo, o município não repassa as verbas devidas ao Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Teresópolis. O déficit à instituição é calculado em mais de R$ 100 milhões. Por causa disso, aposentados e servidores ativos estão com salários atrasados. 

Arlei Rosa é acusado de improbidade administrativaCarlo Wrede / Arquivo Agência O Dia

No dia 18 de agosto, o prefeito havia deixado o cargo por decisão da Câmara Municipal de Teresópolis, que instalara uma comissão processante, mas Arlei Rosa reassumiu no dia 1º de setembro, por decisão da 14ª Câmara Civil do TJRJ, que suspendeu o decreto legislativo.

Últimas de Rio De Janeiro