Beltrame promete mudanças no policiamento nas praias após arrastões

Secretário de Segurança se reúne nesta segunda-feira com o comando da PM e diz que corporação está 'constrangida'

Por O Dia

Rio - O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, afirmou nesta segunda-feira que haverá mudanças no policiamento que é feito nas praias do Rio de Janeiro. Neste final de semana, episódios de arrastões assustaram banhistas e moradores de diversos bairros da Zona Sul. Beltrame vai se reunir com o comando da Polícia Militar para traçar uma nova estratégia.

"A estratégia do policiamento vai mudar. Estou indo no comando da PM e nós vamos voltar com as operações preventivas que nós vínhamos fazendo desde o final do ano passado e que deram resultados muito positivos com a abordagem de ônibus. Estamos monitorando e já temos informações de jovens se programando para fazer o mesmo na próxima semana", disse em entrevista para a CBN.

José Mariano Beltrame afirmou nesta segunda-feira ter informações de que jovens estariam programando novos arrastões para a próxima semanaErnesto Carriço / Agência O Dia

Beltrame falou que a Polícia Militar está "constrangida" para agir contra os jovens. "Hoje, infelizmente, temos uma polícia constrangida. Se a polícia age, é acusada de que abusou do poder e, se não age, é acusada de não fazer nada. Não é em vão que venho dizendo há muito tempo que estamos enxugando gelo porque no país há uma inversão total do sistema. É muito mais fácil atacar quem está na ponta. Tudo termina na polícia. A consequência de tudo é polícia", diz.

VEJA MAIS

Mais de 60 pessoas são detidas durante tumultos em praias da Zona Sul

Arrastões marcam o fim de semana de calor e praia

O secretário cobrou a presença dos pais dos jovens envolvidos nos assaltos. "Existe um desequilíbrio muito grande. Onde estão os responsáveis por esses jovens? E não se trata de racismo, se é branco, negro, rico ou pobre. O que está em jogo é a situação de vulnerabilidade. Eu pergunto para essas pessoas: como que o jovem sai, por exemplo, de Nova Iguaçu, a 30 km da praia, só com a bermuda e sem um centavo no bolso para beber, para comer, para pagar transporte?", questionou.

Defensoria nega proibição de abordagem a jovens 

Em nota oficial, a Defensoria Pública do Rio de Janeiro negou que haja uma proibição para que a PM aborde jovens a caminho da praia. No último dia 10, uma decisão judicial proibiu que menores fossem apreendidos sem comprovação de delito.

"O juiz da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso da Capital teve o cuidado de marcar duas audiências em que estiveram presentes comandantes de vários batalhões da PM, quando foi informado que a decisão não impede a abordagem, que é um papel da polícia. Ficou muito claro que a decisão nada mais faz do que determinar observância da lei. Não há impedimento para qualquer ação preventiva, bem como de policiamento ostensivo", diz um trecho da nota.

Últimas de Rio De Janeiro