Taxista é ameaçado na Zona Sul por não aderir ao protesto da categoria

Em Copacabana, grupo hostilizou motorista do táxi e passageiro, que seguiam para aeroporto, e atirou ovos no carro

Por O Dia

Rio - Um grupo de taxistas que participa do protesto contra o aplicativo Uber, nesta quarta-feira, ameaçou um taxista que não aderiu o movimento em Copacabana, na Zona Sul do Rio. De acordo com informações, outros profissionais que não participam da manifestação de hoje estão sendo hostilizados. Ele levava um passageiro para o aeroporto quando foi impedido de deixar o lugar. Decidido a deixar o local e continuar trabalhando, ele foi ameaçado, xingado e os manifestantes tacaram ovos em direção ao seu carro.

GALERIA: Veja imagens do protesto no Rio

O vídeo, enviado para o WhatsApp do DIA (98762-8248) mostra o passageiro explicando que está indo para o aeroporto e um dos taxistas que protestavam na orla da Zona Sul manda ele fechar a janela. "Que se f... que ele vai para o aeroporto", diz um deles. "Mete ovo, mete ovo", grita outro taxista, incentivado por outros, que começam a atirar vários ovos no táxi.

Motoristas de táxis realizam, na manhã desta quarta-feira, um protesto contra o aplicativo Uber em vários pontos da cidade. Os taxistas se concentram em pontos das zonas Norte, Oeste e Sul do Rio. O grupo seguiu em direção ao Tribunal de Justiça do Rio e a Prefeitura do Rio. A manifestação para o trânsito em diversos pontos.

No TJ, o sindicato que representa a categoria pretende entregar um documento quepedea anulação da lei que liberou o serviço no Rio e proíbe que os motoristas sejam multados. Grande parte do grupo chegou ao local por volta das 9h. Eles também são contra um projeto de lei que pode ser votado no Senado sobre a regulamentação do aplicativo.

Taxistas protestam contra o Uber no Rio. Motoristas partiram de vários pontos da cidade e hostilizaram quem furava o protestoEstefan Radovicz / Agência O Dia

Há taxistas em Del Castilho, Barra da Tijuca, Campo Grande, Realengo, Irajá, Ilha do Governador, Leme, Copacabana e pelo menos outros quatro pontos da cidade. Motoristas do aplicativo Uber que pegavam passageiros em frente a hotéis da Zona Sul foram hostilizados e usuários advertidos a não usarem o serviço. Uma enorme carreata também ocupou o Aterro do Flamengo, parando o trânsito na região. O mesmo acontece no Maracanã por conta do grande número de táxis.

A Polícia Militar e a Guarda Municipal seguem a carreata para tentar reduzir os efeitos do trânsito na cidade. A ação, no entanto, está provocando grande confusão no tráfego, já que os taxistas andam com a velocidade reduzida.

Através do WhatsApp do DIA (98762-8248), um homem que se identifica como taxista convoca a categoria para ir à carreata desta quarta-feira. Com gírias, palavrões e ameaças, ele chama quem não pretende aderir ao protesto de "urubus". "Quem é taxista vai mostrar napráticaamanhã (hoje), vai lutar pelos nossos direitos, irmão. Quem não for, irmão, quem não tiver disposição, for um 'peidão', está entendendo, vai ser tratado igual os urubu (sic). Quem não fecha na causa, não está com a gente, é alemão. Amanhã (hoje), só quem está com a disposição pra fechar, pra tacar fogo, pra quebrar, porque amanhã a gente está pra resolver", diz.

Taxistas protestam contra o Uber no RioEstefan Radovicz / Agência O Dia

Polêmica em torno do Uber

?Esta é a terceira carreata de protesto contra o Uber organizada pelos taxistas no Rio. No dia 24 de julho, os motoristas protestaram questionando a legalidade do serviço epedirama proibição do Uber ao prefeito da cidade, Eduardo Paes.

Em setembro, Paes sancionou lei que foi aprovada pela Câmara de Vereadores proibindo o funcionamento do aplicativo. Entretanto, em outubro, uma liminar do Tribunal de Justiça suspendeu os efeitos da lei e liberou o serviço no Rio. Os taxistas se organizaram e fizeram uma nova carreata contra a decisão da Justiça.

No início deste mês, a prefeitura teve sua liminar recorrendo da decisão negada pela Justiça, que manteve a decisão de primeira instância permitindo a circulação do Uber, motivando a nova manifestação desta quarta-feira.

Últimas de Rio De Janeiro