Marqueteiro e caciques do PMDB querem outro candidato a prefeito

A divulgação de novo caso de agressão e as vaias em evento no domingo convenceram lideranças do partido de que não dá para sustentar candidatura de Pedro Paulo Teixeira

Por O Dia

Rio - A divulgação de novo caso de agressão atribuído a Pedro Paulo Teixeira (o registro foi feito por um fotógrafo) e as vaias que ele recebeu domingo, em Madureira, convenceram os caciques do PMDB-RJ de que não dá para sustentar sua candidatura a prefeito.

Nem mesmo Renato Pereira, marqueteiro preferido dos peemedebistas fluminenses, acredita numa recuperação de Pedro Paulo. Ele já comentou com lideranças do partido que alguém precisa convencer Eduardo Paes da inviabilidade eleitoral de seu escolhido.

A bola está com Paes

Com receio de melindrar Paes, a cúpula peemedebista continua decidida a fazer com que a saída de Pedro Paulo da disputa seja definida pelo prefeito. “Vamos deixar o tempo falar”, diz um importante peemedebista.

Sem aliança

A direção nacional do PSB descarta a possibilidade de o senador Romário apoiar Pedro Paulo ou qualquer outro peemedebista para a prefeitura.

Protesto

Pichação na Rua Riachuelo, ao pé da escadaria da Rua Frei Orlando: “Vende-se carne negra. Ligar para 190.” Trata-se de um protesto que relaciona a PM com a música ‘A carne’ (de Marcelo Yuka, Ulisses Cappelletti e Seu Jorge), gravada por Elza Soares. Aquela que diz que a carne mais barata do mercado é a carne negra.

Convencimento

Um dos desafios do Comitê Rio 2016 é fazer com que a população dos estados abrace a Olimpíada. A maior dificuldade de adesão tem sido em São Paulo.

Culpa do francês

Secretário de Fazenda, Julio Bueno atribuiu ao filósofo Montesquieu o fato de servidores do Judiciário, do Legislativo e do MP terem escapado do parcelamento de salários. É que o francês formulou a separação dos poderes.


Últimas de Rio De Janeiro