Muito além da vistoria

Detran-RJ cria mecanismo para diminuir tempo de permanência nos postos durante exigência anual

Por O Dia

Rio - O Rio de Janeiro tem uma frota de cerca de seis milhões e setecentos mil veículos. O número representa o desafio do Detran-RJ na busca para atender cada vez melhor os cidadãos. Mas, mesmo com tantos automóveis rodando pelo estado, o órgão vai muito além da vistoria.

Embora muitas pessoas pensem apenas na exigência anual quando se fala no departamento de trânsito, somente a Diretoria de Registro de Veículos (DRV) - área que está inserido o serviço - oferece diversos tipos de atendimentos nas diferentes etapas da vida útil do automóvel.

“O Detran-RJ está envolvido com o automóvel desde que ele nasce - no momento em que é registrado e emplacado -, até a baixa ou leilão. Portanto, teremos funções a cumprir junto aos clientes do nascimento a, digamos, morte legal. Para isso, o caminho é diversificar a oferta de serviços”, explica Carla Adriana, diretora da DRV.

Câmeras captam informações antes do condutor apresentar documentaçãoSebastião Gomes

Um deles é disponibilizar a vistoria volante para grandes empresas. A iniciativa permite que a inspeção seja feita no próprio espaço cedido pelo cliente. Somente em 2015, mais de 66 mil veículos utilizaram o mecanismo.

Outro exemplo para aproximar o Detran-RJ do cidadão é a Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) itinerante, que realiza, em municípios que não contam com postos, processos referentes a veículos, habilitação, recursos de multas, 2ª via do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV), entre outros. Hoje, 4 Ciretrans são equipadas para realizar vistorias. Em 2016, o número será ampliado para outras 11 Circunscrições, diminuindo a espera dos usuários.

Além das medidas acima, o Detran-RJ possibilitou, ainda, que os veículos 0 km particulares ficassem dispensados da vistoria por dois anos. No entanto, é preciso estar atento: Embora a vistoria não precise ser feita, é necessário emitir o CRLV anualmente. Em 2015, foram emitidos quase 538 mil documentos de licenciamento sem a necessidade de vistoria.

Unidades passaram por transformações na infraestrutura e informática

Único no país a cumprir o que determina o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que diz que a vistoria deve ser feita a cada ano, o Departamento reforçou medidas para que todos os clientes sintam as melhorias na oferta de vagas nos postos e na qualidade de atendimento.

Diretora de Registro e Veículos aponta iniciativasSebastião Gomes

Nos últimos anos, as 49 unidades do Detran-RJ passaram por transformações importantes nas áreas de infraestrutura e informática. Hoje, por exemplo, cada posto trabalha com um link secundário do servidor. “Isso facilita o cidadão. Como trabalhamos de forma integrada com outros órgãos, se o sistema cair, o processo para. O link de contenção não deixa que isso aconteça”, explica Carla.

Além disso, o departamento ampliou o horário de atendimento em 19 equipamentos de vistoria da área metropolitana do Rio com o objetivo de oferecer mais vagas. O sistema funcionou nos meses de maior demanda, entre abril e outubro, das 18h às 22h, atendendo cerca de 2 mil veículos a mais por dia. Em 2015, foram feitas, em média, cerca de 15 mil vistorias por dia em todo o estado. Somente na Barra da Tijuca, o posto que mais realiza o serviço, passaram cerca de 1.800 veículos diariamente. Em média, 15% dos veículos são reprovados. Mas tem posto com vaga sobrando.

“Um dos postos mais modernos que temos não recebe a capacidade de veículos que podemos suportar. É um ótimo lugar para ser atendido com prazos mais curtos e mais tranquilidade”, indica Carla, se referindo à Unidade Referência de Serviços do Detran-RJ Marcello Alencar, na Ilha do Governador. Além das vistorias, o espaço é capaz de realizar 200 mil exames de carros e motos por ano. O agendamento para a vistoria deve ser feito pelo 3460-4040 ou pelo site www.detran.rj.gov.br

Tecnologia agiliza atendimentos

O Detran-RJ instalou câmeras com tecnologia OCR (que captam informações através de imagens) nos postos de vistoria. Agora, quando o usuário chegar ao primeiro guichê de atendimento, uma tela indicará a placa do veículo, a hora marcada e a linha que o condutor deverá estacionar para a inspeção.

O objetivo é reduzir o tempo de atendimento em até vinte minutos. Hoje, varia entre 30 e 60. E mais: quando o primeiro procedimento for registrado, o sistema implantado pelo órgão passa a contar o tempo que o veículo gasta em cada processo, do primeiro estágio até deixar o posto.

Na saída, inclusive, caso o veículo não apresente todas as exigências necessárias um monitor mostrará o que é preciso cumprir na próxima visita. Além da tecnologia agilizar e modernizar o atendimento, o serviço tende a ser melhor daqui para frente, já que será possível analisar os principais gargalos da chegada à saída.

Últimas de Rio De Janeiro