Dois policiais ficam feridos após manifestação no Centro do Rio

Um dos feridos, um cabo não foi identificado, foi atingido no rosto por um azulejo. Ele deverá ser operado na próxima segunda-feira

Por O Dia

Rio - Um policial terá que ser operado após ser atingido por um azulejo, na noite de sexta-feira, durante uma confusão que ocorreu na Central do Brasil, após a passeata contra o aumento das passagens de ônibus no Rio. Outro policial que estava em uma moto foi atingido por uma pedrada, medicado e liberado.

Ato contra o aumento das passagens dos transportes no RioErnesto Carriço / Agência O Dia

Segundo a assessoria da PM, um cabo lotado no RPMont (Cavalaria) foi atingido no rosto por um azulejo. Encaminhado para o Hospital da PM, ficou internado para avaliação e deverá ser operado na próxima segunda-feira. Também ficou ferido um policial motorizado do 5º BPM que foi atingido por uma pedrada, vindo a cair ao solo. Foi medicado e liberado.

Protesto começa de forma pacífica e termina em confusão

O ato contra o aumento das passagens tumultuou o trânsito na noite de sexta-feira no Centro do Rio. A passeata, que começou pacífica, terminou em confronto entre manifestantes e a polícia. O Batalhão de Choque e a Cavalaria foram acionados para dispersar o protesto. No momento da confusão, os portões da Central foram fechados por seguranças e trabalhadores que chegavam para utilizar os transportes se juntaram e forçaram a entrada nas estações.

Ciclista fotografa fogueira feita por manifestantes na Central do BrasilErnesto Carriço / Agência O Dia

O Batalhão de Choque e a Cavalaria foram acionados para tentar dispersar o protesto. A PM usou bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral para reprimir o protesto. A ação provocou pânico entre os populares. Dois manifestantes foram presos e encaminhados para a 17ª DP (São Cristovão). Os manifestantes presos foram João dos Santos Neto, de 34 anos, que foi preso na Av. Presidente Vargas, conduzido para delegacia, autuado e liberado e Wallace de Sá Ribeiro Machado, de 28 anos, que foi preso quando se encontrava na Central do Brasil. Foi observado que o mesmo tinha várias anotações por furto, desobediência e dano ao patrimônio público.

Também na confusão, cerca de 30 adolescentes foram levados para a DPCA (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente). Segundo testemunhas, os jovens estavam com roupas de praia no terminal rodoviário da Central do Brasil. Quando a manifestação chegou ao local, todos teriam pulado a roleta de um dos ônibus que passava na Avenida Presidente Vargas. A Polícia Militar foi acionada e os jovens levados para a especializada.

Passeata segue em direção a Alerj pela rua Araújo Porto AlegreReprodução Facebook

No começo da passeata os cerca de dois mil manifestantes caminharam em direção à Alerj e lá foi votado se a caminhada voltaria para a Cinelândia ou iria em direção à Central. Por ampla maioria o protesto seguiu em direção à Central. Gritos de "Fora Dilma" e "Fora Cunha" foram ouvidos pelo caminho. O grito mais presente foi de que "se a passagem não abaixar a roleta vão pular" e também "Vem pra rua".

Últimas de Rio De Janeiro