Postos do Detran não abrem por protesto de terceirizados

Empregados alegam atraso de salário

Por O Dia

Rio - Funcionários de postos do Detran paralisaram suas atividades ontem em várias unidades pela cidade, e quem precisava fazer vistoria acabou tendo problemas e só encontrou portas fechadas. Em Campo Grande, Santa Cruz, Barra da Tijuca e no Catete, empregados cruzaram os braços por falta de pagamento.

Adriana e Sérgio vieram de São Paulo para a vistoria%2C em vãoEstefan Radovicz / Agência O Dia

No Catete, só quem estava com a vistoria vencida conseguiu reagendamento. Quem não estava nesta situação reclamou. O advogado Adolfo Caio, 68, que tinha horário marcado, não foi atendido. “Foi um transtorno e não pude remarcar aqui, vou ter que reagendar”, reclamou. A mesma situação aconteceu com o corretor de imóveis Pedro Perdigão. “Perdi um dia de trabalho para fazer a vistoria do carro e não a fiz, é um desrespeito!”, afirmou.

Sérgio Joaquim, 42, e Adriana Peixoto, 35, vieram de São Paulo somente para vistoriar o veículo do casal, mas foram surpreendidos pela falta do serviço. “Saímos de madrugada de São Paulo só pra isso. Achei que esta época do ano seria mais vazio, ainda mais no sábado, mas foi viagem perdida”, lamentou Sérgio. O Detran alegou que a Prol, que terceiriza funcionários para o governo, não efetuou os pagamentos. O órgão garante já ter dado o dinheiro à empresa. 

Últimas de Rio De Janeiro