Rio de Janeiro passa a ter maior frota de táxis elétricos do Brasil

Mais 13 novos táxis elétricos começam a circular no município nesta quinta-feira

Por O Dia

Rio - Foram apresentados, nesta quarta-feira, os 13 novos táxis elétricos que começam a circular na cidade a partir desta quinta. Desde março, dois táxis 100% elétricos, que não emitem poluente e nem fazem barulho, já rodavam pelas ruas do Rio, a partir do aeroporto Santos Dumont. Com a chegada dos novos amarelinhos ecologicamente corretos, o Rio de Janeiro passa a ter a maior frota de táxis elétricos do Brasil, com 15 carros, e a segunda maior do mundo, perdendo apenas para o México, que conta com 50 veículos.

Os novos taxistas vão circular pelos dois aeroportos do Rio (Santos Dumont e Galeão), pelo Centro, Barra da Tijuca e pelos bairros da Zona Sul.

Rio ganha nova frota de táxis elétricosSeverino Silva / Agência O Dia


“De todas as grandes cidades do mundo, nenhuma tem o patrimônio ambiental e natural do Rio. Por isso temos uma responsabilidade maior. Iniciativas como esta mostram que existe um caminho, principalmente na área de transportes, que hoje mais gera emissões de gases do efeito estufa e CO2", disse o secretario municipal de Transportes, Carlos Roberto Osorio.

Segundo o secretário, "o Rio de Janeiro tem um grande objetivo, uma grande responsabilidade. O nosso sistema de táxi é o cartão de visita da cidade. O nosso taxista é o grande anfitrião do Rio de Janeiro. Toda a categoria se sente honrada e se sente homenageada de estar fazendo parte desse projeto”.

O táxi elétrico, projetado para atender às necessidades da mobilidade urbana moderna, oferece espaço, conforto e potência como os veículos à combustão. Lançado comercialmente nos Estados Unidos e no Japão, em dezembro de 2010, e, na Europa, no ano seguinte, o modelo já tem mais de 75 mil unidades vendidas em todo o mundo e autonomia de 160km.

O módulo de 24 baterias de íon-lítio pode ser recarregado em carregadores em até oito horas, como os instalados na SMTR, ou em apenas 20 minutos com os ‘quick chargers’ (carregadores rápidos).

“Nossa convicção é de que o carro elétrico é parte do futuro do planeta que queremos deixar para os jovens. O Brasil e o Rio de Janeiro serão inseridos nesse cenário em breve. Emissão zero é, sim, possível”, diz o presidente da Nissan, François Dossa.

Além do carregador rápido que funciona no Posto Escola Lagoa, a Petrobras Distribuidora vai inaugurar equipamento idêntico no Posto do Futuro, na Barra da Tijuca, em outubro. E estão em estudos pela BR mais dois pontos para carga de veículos elétricos na cidade do Rio de Janeiro.

Os táxis elétricos são classificados como “zero emissão” por não emitirem gases de efeito estufa, sendo uma alternativa sustentável se comparado aos carros movidos a derivados de petróleo. A meta da Prefeitura do Rio, segundo a política climática da cidade, é de reduzir a emissão de gases do efeito estufa em 16% até 2016, considerando as emissões de 2005.

Últimas de _legado_O Dia 24 Horas