Poemas ganham vida em corpos femininos

Poetisa iguaçuana faz sucesso escrevendo obras em mulheres

Por O Dia

Já imaginou os poemas saírem dos tradicionais livros e serem escritos no corpo de uma mulher? Há sete meses, a poetisa Camila Senna, de Nova Iguaçu, colocou esta ideia em prática ao criar o projeto ‘Poesia Segunda Pele’. Desde então, obras próprias e de vários poetas da Baixada ganharam vida ao serem transcritas em várias partes no corpo feminino. Além de ressaltar a beleza, a iniciativa levanta bandeiras, como a luta contra a violência à mulher, o preconceito racial e a busca por mais igualdade no mercado de trabalho.

Camila Senna transcreve obras que falam de assuntos femininos como a violência%2C preconceito e igualdade Bruno de Lima / Agência O Dia

Camila sempre quis tirar a poesia do papel. Ainda na adolescência, escrevia versos nos muros da Via Light, em Nova Iguaçu. A iniciativa de usar o corpo feminino surgiu logo após ela escrever as palavras poesia e segunda pele ao lado de uma foto, enquanto fazia um fanzine na parede do quarto, uma espécie de colagem com recortes de jornais e revistas.

A jovem começou a pintar os versos com batom pelo corpo e em seguida fotografar. Hoje, mais de 30 mulheres já passaram pelo projeto e o velho batom deu lugar a uma caneta especial, a prova d’água, nas cores branca e amarela.

O projeto não se resume a manifestar a poesia no corpo. Segundo a produtora, os versos são escolhidos de acordo com o sentimento, o signo e as características de cada mulher. Ela afirma que a roupa usada na produção varia de acordo com o estilo. “Faço perguntas para sentir a emoção, o estilo literário, signo e coisas do tipo. Partindo dessa conversa a coisa flui’” revela. A escolha por mulheres, segundo ela, não foi à toa: "Comecei com as mulheres por conta do uso abusivo delas como mercadoria. Mas no futuro pretendemos ampliar também para os homens”.

O primeiro trabalho foi em agosto do ano passado, no Sarau do Escritório, esquina das ruas Mem de Sá com Gomes Freire, na Lapa. A partir daí, Camila passou a exibir e fazer novas produções nos saraus da Baixada, entre eles o Sarau Rua, realizado na última sexta-feira do mês, na Praça do Estudante, em Nilópolis , o Sarau Donana (último sábado do mês, no Centro Cultural Donana, em Belford Roxo) e Sarau Fulanas de Tal (primeira sexta-feira do mês, na Casa da Cultura de Nova Iguaçu).

Obras transcritas falam de amor, críticas e do universo feminino

Todos os poemas expostos nos corpos femininos são de Camila ou de outros autores da Baixada. Entre os mais procurados estão do poeta iguaçuano Marlos Degani, que participa do grupo Desmaio Público, que há mais de 20 anos reúne poetas da região, em Nova Iguaçu.

Projeto tem feito sucesso em sarausna região e no RioBruno de Lima / Agência O Dia

A servidora pública e modelo Cássia Cabral, 40, de Belford Roxo, já fez duas produções. Na última, ela optou pelo registro do verso “Houve-se entre nós um tempero novo. O ar de um era o ar do outro”, de Marlos Delgani. Segundo ela, a poesia tem a ver com o temperamento de cada pessoa. “O poema fala de amor e sou romântica”, afirma.

Já na primeira produção, Cássia optou pelo verso “De uma fera selvagem engravido, gero”, de autoria de Camila. “Tem tudo a ver comigo. Nasci fruto de um estupro”, revelou.

A pedagoga e blogueira nas horas vagas, a moradora de Mesquita Bruna de Paula, 23, utilizou o verso “A minha história não está a venda. O que você chama de tendência, é meu símbolo de resistência”, para criticar a apropriação cultural de objetos da cultura afro, como o turbante. "Ele é usado como moda, mas é muito mais que isso. É símbolo de resistência de um povo", ressalta.

Além dos saraus, as produções também podem ser vistas em uma página no facebook, Poesia Segunda Pele, que já soma quase três mil seguidores. Lá, a iniciativa ganhou admiradores de outros estados.

Camila está produzindo um filme independente inspirado no projeto e espera lançar um livro com as fotografias que têm em seu arquivo. “Novamente a poesia voltará para o papel, mas com muito mais vida”, destacou.

Além de entrega de flores, haverá ações sociais e prêmio para os destaques da região

Serviços gratuitos, homenagens e distribuição de rosas vão marcar o Dia Internacional da Mulher, na Baixada. Em Paracambi, as mulheres que passarem, hoje, pela Praça Cara Nova, no Centro, serão presenteadas com flores. Em Mesquita, elas receberão o mimo, a partir das 9h, na feira livre, no Centro.

Já em Nova Iguaçu, o ponto alto da comemoração será com o ‘Oscar Social’ para as mulheres que se destacaram na cidade. A festa será na terça, às 17h30, no Complexo Cultural. Na quarta, o Sarau Mais Mulher levará música, poesia, artesanato e arte plástica para a Praça Santos Dumont, no Centro, às 20h.

Em Queimados, terá ação social, amanhã, a partir das 9h, na Praça Nossa Senhora da Conceição, no Centro. Em Nilópolis, também haverá ação social no dia 20, a partir das 9h, no Calçadão da Avenida Mirandela, no Centro.

Amanhã, a partir das 10h, o evento ‘Mulher em foco!’ oferecerá serviços gratuitos de saúde e beleza, na Praça da Emancipação, em Guapimirim. Já em Japeri, coletas de preventivos poderão ser feitas, amanhã, a partir das 9h, nas Unidades Básicas de Saúde do centro e de Alecrim.


Últimas de _legado_O Dia na Baixada