Prefeitura de Macaé vai licitar estrada Santa Tereza em abril

Via vai retirar do trânsito de Macaé cerca de 700 carretas que circulam diariamente pela cidade. Obras terão início neste ano

Por O Dia

Rio - O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE) aprovou todos os termos do edital de licitação da construção da estrada municipal Santa Tereza (MC-88), ligação entre o Parque de Tubos e a RJ-168 (Rodovia do Petróleo). A licitação das obras está prevista para 17 de abril. Neste sábado (14), será publicado o aviso que divulgará a data e as exigências do processo.

A iniciativa faz parte do Programa Somando Forças, que prevê um convênio para repasses estaduais na área de infraestrutura. No total, R$ 60 milhões serão investidos pelo governo estadual e R$ 32.758.157,51 milhões pela prefeitura de Macaé.

Além disso, em contrapartida, a gestão municipal irá liberar as duas composições do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) para o Estado, avaliadas em R$ 15 milhões, que por meio de estudo de Comissão Especial foi constatada a inviabilidade do projeto no município.

A Estrada Santa Tereza vai retirar do trânsito de Macaé cerca de 700 carretas que circulam diariamente pela cidade. As obras terão início ainda neste ano e irão gerar empregos diretos e indiretos. A proposta é melhorar a logística para a indústria do petróleo. Os veículos pesados passarão a utilizar o arco viário em direção ao Terminal Portuário, o Tepor, que será construído no bairro São José do Barreto.

O objetivo é melhorar a mobilidade urbana e desafogar o tráfego de veículos de carga no centro da cidade. "A construção da estrada municipal Santa Tereza é um marco para o desenvolvimento do município. Não avançamos negando os problemas. O período de recessão será combatido com muito trabalho", disse o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio.

Com as obras, a estrada, que funciona em condições precárias e não é asfaltada, ganhará drenagem, pavimentação, duplicação, implantação de acostamento e urbanização, além de iluminação pública e sinalização vertical e horizontal. São cerca de nove quilômetros de extensão.

No primeiro semestre de 2013, o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio, divulgou os resultados da auditoria sobre o projeto de implantação de sistema de transporte de passageiros por Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), no município. A Comissão Especial, composta por representantes da Procuradoria, Controladoria Geral e Secretaria de Mobilidade Urbana, apontou que as principais causas da inviabilidade do projeto são a não realização de etapas que deveriam anteceder a chegada das composições.

Para a implantação do projeto, etapas como adequação do leito, construção de estações de embarque e desembarque, sinalização dos cruzamentos (passagem em nível), entre outras, deveriam ter sido realizadas para que o transporte se tornasse viável e seguro. A prefeitura não desistiu do modal ferroviário e já está em andamento uma convocação para a iniciativa privada apresentar projeto de viabilidade técnica e econômica ao poder público.


*Com informações da assessoria de Macaé

Últimas de _legado_O Dia no Estado