Marcos Espínola: Tempo de mudança e limpeza ética

Tudo nos leva a crer que a prática irresponsável do piloto e sócio da companhia aérea em traçar seus planos de voo sempre no limite de autonomia era rotina

Por O Dia

Rio - Recentemente vivemos um dos maiores traumas dos últimos tempos. A queda do avião da Lamia nos trouxe muita dor, pois a bordo um time inteiro teve o sonho interrompido drasticamente. Com a perda de mais de 70 pessoas, mais uma vez, veio à tona fato que aqui no Brasil também tem sido motivo de muito sofrimento, que é a falta de ética. Mas nem tudo está perdido, e alguns fatos nos dão esperanças de que há luz no fim do túnel para mudar.

Ainda que estejam em curso as investigações, tudo nos leva a crer que a prática irresponsável do piloto e sócio da companhia aérea em traçar seus planos de voo sempre no limite de autonomia, ou seja, com o combustível contado, era uma rotina. Total falta de ética, pois colocava em risco passageiros que depositavam confiança nele. Dentre esses, até a seleção argentina correu riscos, escapando, por 18 minutos, de pane por falta de combustível.

Essa atitude antiética nos remete aos últimos anos de crise econômica e política no Brasil. Casos que foram denunciados e alguns comprovados, revelando ausência de ética e moral de políticos e empresários, através de esquemas milionários de desvio do dinheiro público.

Mas se por um lado o contexto chega a ser constrangedor, por outro o amadurecimento democrático e toda uma frente de trabalho de inteligência e investigação vem dando sinais de que é possível fazermos um futuro melhor. No Rio, por exemplo, policiais militares tiveram a possibilidade de embolsar R$ 1 milhão, oferecido pelo traficante Arafat, mas negaram e optaram em cumprir a lei. Mais do que ética, deram exemplo de profissionalismo e princípios morais.

O povo colombiano emocionou o mundo com sua atitude fraterna, solidária e acolhedora. O time da casa abriu mão do título e dos ganhos equivalentes em respeito ao sofrimento do adversário. Fazendo uma analogia das atitudes, por aqui, num gesto de grandeza e honradez, policiais enterraram o suborno e a corrupção, que tanto lesam o povo.

As polícias têm trabalhado muito em todo o país. A inteligência, somada à ética de cada agente envolvido nas operações, tem trazido resultados nunca imagináveis, com os colarinhos brancos sendo presos. Uma limpeza ética num país que pouco a pouco está mudando.

Marcos Espínola é Advogado criminalista

Últimas de Opinião