Protesto de grevistas na porta do Detran do Centro do Rio causa confusão

Servidores que aderiram paralisação, decidida em assembleia nesta terça, impediam entrada de quem buscava atendimento

Por O Dia

Rio - Um protesto de grevistas do Detran causou confusão, na manhã desta quarta-feira, na sede do órgão na Avenida Presidente Vargas, no Centro do Rio. A categoria decidiu paralisar as suas atividades em assembleia ocorrida ontem. Quem chegava tanto para ser atendimento quanto para trabalhar e era impedido de entrar no prédio.

Os manifestantes começaram a chegar no local por volta das 7h com o intuito de aumentar a mobilização da categoria à greve. A ação aconteceu em outras unidades do órgão. De acordo com representantes do movimento grevista, os funcionários reivindicam o pagamento do salário em dia, além da autonomia e a unificação da folha de pagamento dos inativos -- que hoje seria a categoria mais prejudicada pelo Detran, segundo os manifestantes.

Os grevistas farão mais dois dias de manifestações -- quinta e sexta-feira em frente ao Detran, na Avenida Presidente Vargas, confirmou o movimento grevista. Nesta manhã, os funcionários usaram nariz de palhaço e usaram apitos. Eles fizeram um apitaço e chamam os funcionários que não aderiram a greve -- e que estão dentro da unidade -- para que eles desçam para o ato.  

De acordo com o Detran, os postos de vistoria estão funcionando regularmente, mas em algumas unidades poderá haver dificuldade para a emissão do documento do veículo vistoriado, visto que alguns licenciadores aderiram à paralisação.

Protesto de grevistas causou confusão no Detran do Centro do RioDivulgação / Sindicato dos Funcionários do Detran-RJ

Quem não conseguir ser atendido poderá retornar ao mesmo posto em até 30 dias corridos, sem necessidade de um novo agendamento. O Detran decidiu não realizar os exames práticos e teóricos de direção nos próximos dias. Os postos de habilitação oferecem normalmente serviços como renovação e 2ª via de CNH, assim como os postos de identificação civil.

Últimas de Rio De Janeiro